Banner: Marco Antonio ///// Produção de Layout: Mariana Nunes

Era vidro... (by Sérgio Enzo)

>> domingo, 9 de março de 2008


"O anel que tu me deste
Era vidro e se quebrou
O amor que tu me tinhas
Era pouco e se acabou"

(em Ciranda, Cirandinha)



Depois do acidente de Sérgio, e de todo o mal entendido envolvendo a suposta morte de Marina, o relacionamento dos dois ficou mais forte, mais sincero, mais sereno e, por isso mesmo, mais frágil que um papel molhado.
A verdade é que de fato os dois viveram uma história de amor desde o reveillon deste ano.
Mas, velhos “fantasmas” acabaram voltando a assombrar a relação dos dois. E esses fantasmas não se chamam Fernanda, ou Daniela.
Sérgio tem uma qualidade admirada por muita gente: sua capacidade de doação. Sérgio entrega-se intensamente, de corpo e alma, a tudo que faz. Entra de cabeça. Investe naquilo que acredita ser possível e move céus e terras para tornar real o inatingível. Até a hora que não dá mais!


E é isso que ele está sentindo em relação a Marina. Não está mais valendo a pena.
Esta grande qualidade de Sérgio acaba sendo, para ele, ao mesmo tempo, seu maior problema. Principalmente no que se refere a um relacionamento. Sérgio entende que não pode haver uma pessoa que só se dedica e outra que só recebe essa dedicação. A velha estória da “via de mão dupla”. Sérgio não sabe lidar com a situação de fazer tudo por alguém e alguém pouco ou nada fazer por ele. Uma das frases que ele mais vê nos perfis de orkut e de blogs é “Não trate com prioridade quem só lhe trata como opção”.
É mais ou menos assim que Sérgio se sente com relação a Marina. É fato que ele gosta dela, como também é fato que ela gosta dele. Só que Sérgio se mobiliza por Marina. Marina “grita por socorro” e Sérgio viaja horas e horas para ampará-la. Quando é Sérgio que grita, Marina ou finge que não escuta, ou diz que não pode porque tem N coisas “importantes” para resolver.
Sérgio não encontra nas pessoas a mesma capacidade de doação, de entrega, de mobilização que ele tem, e que dele é exigida por todos que o conhecem. E Sérgio sabe que cada um tem seu jeito de ser sua maneira de relacionar-se com o mundo. Seria desumano Sérgio exigir que todos ajam como ele age para com todos.
O que tem incomodado Sérgio é isso: quando precisam dele, não importa como esteja sua vida, o que ele esteja fazendo: ele vai lá, dá um jeito, reprograma e reestrutura sua “agenda de compromissos importantes” e encaixa a necessidade dos outros. E o melhor: vai lá e faz. Já quando é Sérgio que precisa, ele não encontra isso nas pessoas. Talvez seja justamente por isso que Sérgio tenha aprendido a se virar sozinho. E talvez seja por isso que Sérgio esteja cansado.
O coração de Sérgio é uma casa. Dentro dela está o sentimento por Marina. Sérgio pegou as chaves, abriu a porta. E abriu as janelas também. A porta, é para que Marina saia, se quiser (se não for tomar atitude alguma para nesta casa permancer). As janelas abertas são para que saibam que ali dentro há alguém disposto a ter uma vida linda e promissora a dois, bastando apenas ser notado. Quem sabe um dia, alguém verá Sérgio lá dentro? E quem sabe não seja uma pessoa que se entregue na arte de doar-se também?

43 bedelhos!:

Marco Antonio 9 de mar de 2008 15:30:00  

Eu acho esse Sérgio gente boa... até respondi que ele era trouxa na enquete, mas foi por maldade.

É, realmente... essa qualidade que ele tem, que eu também tenho, pode transformar-se em sua sina. E não há muito o que se fazer, sem ser dar um basta nisso. Acho que Sérgio está indo pelo caminho certo. Pessoas de bom coração têm a alma melhor. Com certeza ela encontrará alguém que o mereça, assim como eu encontrei.

Gu! 9 de mar de 2008 15:33:00  

palavras que vem da alama, cheias de amor e desejo, lindo, parabéns

Os melhores sites PTC 9 de mar de 2008 15:48:00  

opa,

Parece um folhetim esse blog.


abraço!!

Gênese 9 de mar de 2008 16:26:00  

hauhuau...

isso ta virando novela...

^^'

mas ta legal...


bye


http://www.causagendi.blogspot.com/

Lucian 9 de mar de 2008 17:41:00  

musiquinha de infância...

O Homem Moderno 9 de mar de 2008 19:57:00  

Nossa, adorei os ultimos textos. O da Martha Medeiros é super legal, vou mandar o link do seu blog pros amigos ;-)

Juliana A. 9 de mar de 2008 19:58:00  

Nossa lindas palavras...
e o final..
parece ate um pouco comigo....

realmente tocante..
parabens !!!



=*

Lucas Conrado 9 de mar de 2008 20:14:00  

É uma pena que tenha acabado assim... Mas, já que está acontecendo isso, é o melhor terminar tudo mesmo...

Queria que Jonas tivesse a força de Sérgio para esquecer sua Fernanda (de Jonas).

Mayna 9 de mar de 2008 20:24:00  

Adorei o texto!
Concordo com o disseram acima! Parece um folhetim!
Muito bom!

http://maynabuco.blogspot.com

DivulgaBlog! 9 de mar de 2008 20:37:00  

Blog Muito 10!!!
Comenta lá no meu e seja divulgado!
www.divulgandoblogs.blogspot.com

Éverton Vidal 9 de mar de 2008 20:39:00  

Orra velho vc escreve muito bem, gostei do texto... Acho que sou um pouco Sérgio também, e talvez mei Marina..

Henrique Mine 9 de mar de 2008 20:49:00  

serjio=bana troxa
marina=vaca
simples assim
xD
(pelo amor de deus me diz que os dois sao ficticios)

legal o blog
xD
flw
http://palhacadasaparte.blogspot.com/

Euzer Lopes 9 de mar de 2008 20:51:00  

Não é por nada não, mas escrever Sérgio com J é ofender o pobre "burro"

Anônimo 9 de mar de 2008 20:55:00  

excelente blog

Jornalista 9 de mar de 2008 21:40:00  

Poxa cara, lendo até doeu meu coração... Eu sou bem assim.. E sei como é ruim quando não somos correspondidos.. Poxa, isso me revolta.. Dói mesmo... É muito ruim você se esforçar, se dedicar por uma pessoa e ela, que diz que te ama, não mexe uma palha... Foi por isso que terminei meu namoro ano passado e, graças a Deus, agora estou com uma pessoa maravilhosa e que tem me correspondido.. Num relacionamento, seja entre marido e mulher, seja entre amigos, seja entre irmãos, todos têm que ceder um pouco... Como vc escreveu, cada um tem um jeito, mas se não há um esforço para se mostrar o que sente, não adianta só "falar que ama".. Falar todo mundo fala... Mostrar com atitudes é muito mais importante...

ProBrema 9 de mar de 2008 21:59:00  

Cara sem mentira ... Não entendi o blog =[

Latinha 9 de mar de 2008 22:20:00  

Olá!, acho que em primeiro lugar devo-lhe um pedido de desculpas pela falta de educação de não ter retribuido sua visita antes... mas a estrada de tijolos amarelos as vezes fica "meio movimentada" ;-)

Gostei do teu blog, já está devidamente linkado e volto depois para ler com calma. Rapaz, interessante esse lance de abrir portas e janelas da casa-coração, acho que ando vivendo uma coisa parecida. Também adorei o post anterior...

Enfim, uma grande semana para você e espero encontra-lo mais vezes.

Abração!

Juliana Gulka 9 de mar de 2008 22:28:00  

Sabe, me identifiquei com a história de hoje. Não é nada relacionado ao amor, mas sim aos amigos. Cansei de passar pelo que Sérgio passou. Essa de deixar os nossos compromisos para atender os outros, e não receber absolutamenbte nada quando é a gente que mais precisa.
Por que não torna a história de Sérgio Enzo um livro? Seria uma ótima idéia, ele é muito real.

Quanto ao seu comentário no meu blog, o corte dos pinheiros era legal, e pelo que sei foram os bombeiros que cortaram. Mas eu trabalhei 3 anos dentro de uma reserva ambiental e sei que as árvores não estavam pondo nada em risco, por isso a minha indignação!
Beijos e boa semana!

Carlos Vin 9 de mar de 2008 23:20:00  

Cara, os personagens estão ganhando uma carga pessoal mto bacana... É bom personagem q tenha um mundo inteiro de conflito e q tenha conflitos reais... E esse por sinal está relacionando um amor mais amplo, mesmo sendo tb sendo um amor de paixão...

flw! Um abraço

bocejo 9 de mar de 2008 23:58:00  

é o primeiro post da história que estou lendo.
ai é tão dificil pro sérgio, euzer.
pelo que eu vi, ele é uma pessoa prestativa, ele gosta de ajudar mas acaba esquecendo de si mesmo, ou nem esquecendo mas abdicando.
acho que o sérgio precisa olhar mais pra si e pelo visto ele já tá tentando ao abrir as janelas e as portas de seu coração.
ncomo é o primeiro post que estou lendo entõa não sei dizer muito mas parece que o personagem está evoluindo.
bem... ótima noite!


postei um texto novo a uns minutos atr´s no meu blog.

Jeff McFly 10 de mar de 2008 00:35:00  

Concordo com a maioria dos comentários daqui.

Tá bom. Peraca novela. Vou ter que ler ou outros para não começar do final, né?

Abraço, cara!

Abel 10 de mar de 2008 00:39:00  

Virando novela mesmo hein rsrs...

Legal.

Colocar as pessoas dentro de nós é incorporar sua individualidade, isso é complicado rs
Talvez o melhor seja camas separadas derrepente!
Todo caso Sergio não é um homem de sorte rs

Abçs,
Abel

Yeda 10 de mar de 2008 09:15:00  

Muito legal esse texto. De uma forma simples e coerente vc mostrou o grande drama dos casais: umn se doa demais enquanto o outro não corresponde na mesma proporção.

`Parabéns pelo blog!


http://recantodeyeda.blogspot.com/

blog 10 de mar de 2008 09:25:00  

O mais interessante de tudo é a forma como vc lida com os clichês. O texto tinha tudo para naufragar - e não naufraga. Ao contrário.

Sérgio e Marina são comuns e vivem uma relação que se repete em qualquer vida.
Vc é bom, cara. Deu gás a velhas histórias.

Tb escrevo, tenho alguns livros publicados, etc.
Se quiser - e puder! - dê uma checada em

www.movieantiqua.blogspot.com

É sempre bom encontrar quem leva a coisa a sério.
Abraço.

Conquistadores (Didixy) 10 de mar de 2008 09:25:00  

Vc sempre escreve sobre elas é uma história sua?

Muito boma drama do casal, que é uma prova de um pouco que pode acontecer na vida real.

abs

Gabriela Iolanda 10 de mar de 2008 09:56:00  

Eu me vi no Sergio, somos muito parecidos, mas já canei de levar tapa na cara depois da boa ação, talvez ele também venha a sentir isso um dia, enquanto isso a gente vai ganhando uns pontinhos com o cARA lá de cima. Parabéns, mais uma vz gostei do seus escritos.

Gaia 10 de mar de 2008 15:33:00  

Eu diria para Sérgio, que ele não está sozinho neste mundo, pois me sinto como ele.
As vezes desisto de procurar ajuda com alguém, amigos, familia, até mesmo na pessoa que amo... pelas vezes que precisei e estavam ocupados de mais, ou mesmo ignoraram meu chamado, e então chego a conclusão que, todos já tem seus próprios problemas, e não quererm se preocupar/ajudar/escutar o problema do próximo.
Pessoas egoistas...

Por isto que como Sérgio, aprendi a me virar sozinha.

Bruna 10 de mar de 2008 20:52:00  

Oi!
Isso é uma triste realidade, mas é sério , as vezes nos doamos a alguém e a pessoa nem ai

boa semana

Bruna

Ana 10 de mar de 2008 20:53:00  

Amar sem ser amado é mesmo ruim..
beijso

bob.loco 10 de mar de 2008 22:20:00  

serah essa uma historia real ou apenas ficção???axu q tem um pouco de realidade, que historia ein.. o amor entre sérgio e marina :p

muchoo loco
c kiser pasa nu meu

http://ehtudoloco.blogspot.com

Drew Keating 10 de mar de 2008 22:22:00  

Virou passado...

Renato Barbosa 10 de mar de 2008 23:23:00  

Ontem li o seu post mas naum tive tempo de comentar ..

Muito bom ... mesmo ..

2 observações .. .

1º Repito .. vc deveria montar um livro e ganhar dinheiro com historia .. kkkkkkk

2º Me indentifico muito com ele ..
essa vontade, essa calma, esse jeito de amar, de sem entregar ...
Não so nesse post, mas nos demais tbm ...

Acho que a grande diferença é que ele é forte e sabe que quando não esta sendo devidamente correspondido .. pode ser que as coisas não possam ter um final feliz .. ele é conciente disso ..

Mas tirando isso todos os seus pensamentos, suas ideias, suas reflexoes .. são quase como um espelho .. dos momentos que vivo e que vivi ..

Boa sorte .. !!!..

Não vejo a hora .. de ver mais um capitulo do Enzo ..

Vou colocar o link do seu blgo .. no meu . alguem problema ????

Até mais ..

http://renatobarbosa.blogspot.com/

young vapire luke lestat news 10 de mar de 2008 23:42:00  

O sergio é um daqueles caras que é aquele cara gente bao que acaba sendo confundido com babaca , mas mas realidade é um grande ser humano com qualidades e defeito.....

costei muito dos seus textos



[]s l.sakssida

Conquistadores (Didixy) 11 de mar de 2008 00:27:00  

Já comentei aqui., mas lá vai novamente. O texto retrata muito bem algumas pessoas do nosso mundo. É realmente complicado vc levar um vida, na qual vc faz tudo pelas pessoas e elas não fazem nada por vc.

Me sinto assim, pois ajudo muitas pessoas e as vezes parece que elas nem ligam para mim.

Gaia 11 de mar de 2008 01:13:00  

Lamentavelmente sim, querido Euzer :/

E Obrigada pela visita! :)

Arthurius Maximus 11 de mar de 2008 03:27:00  

Bem desenvolvido e envolvente, um texto cheio de mensagens e sentimentos. Não conhecia seu blog ainda, mas achei excelente.

Um abraço.

FaBiO 11 de mar de 2008 09:06:00  

comentado!!!

Neto Morais 11 de mar de 2008 09:32:00  

Parece um folhetim, como se comentou ali.
Ei qual a formula do sucesso do seu blog?? passa 20% dela pra mim!!
valeu

César Fernández 11 de mar de 2008 13:37:00  

adorei isso O_O

NANA 11 de mar de 2008 21:47:00  

"Sérgio não sabe lidar com a situação de fazer tudo por alguém e alguém pouco ou nada fazer por ele"
Eu também não
Bjs.!

Passa lá no...

http://noticias-irrelevantes.blogspot.com/

Henrique Felippe 11 de mar de 2008 21:57:00  

Fala meu brother... vim meter o bedelho mais uma vez...

Puxa, que precisão... estou nessas linhas, plenamente... nossa cara, que isso... me vi nesse post...

sei lá...

Henrique
Vai Vendo...
http://henryfelippe.blogspot.com/

joyce 13 de mar de 2008 12:36:00  

Queria poder abraçar Sérgio nesse exato instante e dizer que tudo vai ficar bem, mas isso não é possível... Será q Marina definitivamente vai passar (ou já passou) pela porta? Será q tem alguém olhando pela janela? Será q Sérgio tem permitido ser olhado? Entendo q Sérgio gostaria q Marina se envolvesse mais com o relacionamento deles e que fosse capaz de mais atitudes que quisessem dizer "eu te amo" ao invés de usar apenas as palavras, mas, (in)felizmente, as pessoas na maioria das vezes (ou em todas elas) não são como gostaríamos q fossem... A minha opinião é que Sérgio deve continuar com Marina enquanto isso estiver lhe fazendo bem, mas, a partir do momento que essa relação lhe traga mais dúvidas e tristezas do que coisas boas, acho q o melhor é se afastar e sofrer "tudo de uma vez agora" do que ficar sofrendo aos pouquinhos até o momento em que a relação fique tão desgastada que não restem nem lembranças boas... Sei lá... Isso é só uma opinião até meio "boba" de alguém que sobre esse tipo de relacionamento só entende a teoria... Abraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaço enorme pro Sérgio

Flavitcho 17 de mar de 2008 21:20:00  

Sérgio precisa de alguém pra lhe fazer bem. =]

Ele acha.

  © Blogger template Skyblue by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP