Banner: Marco Antonio ///// Produção de Layout: Mariana Nunes

AMOR MAIOR QUE A MORTE - A vida de Pepe - meu cão - parte 3 (final)

>> sábado, 19 de abril de 2008

Quando Deus criou a terra e o céu
Nada foi deixado ao léu
As árvores, as flores os peixes no mar,
As aves e insetos, passando no ar

E quando finalmente terminou
Tudo era novo, belo e profundo
O Senhor então pensou
vou sozinho caminhar por este mundo

Viajou muito e um nome dava a tudo que via
E por onde quer que caminhasse
Uma pequena criatura o seguia
Sempre a seus pés, mesmo quando a força já fugia

Finalmente sobre a terra, céu e mar,
Tudo tinha um nome, tudo estava no lugar
E a pequena criatura então falou:
“E a mim Senhor, de que maneira, vais chamar?”

Fazendo um carinho no cansado animal,
Ternamente o Pai lhe disse: "Deixei-te pro final"
Mas não te entristeças comigo
Pois mais que um nome, te chamarei de Amigo!!
.
(autor desconhecido, poesia encontrada
no perfil de Pepe, no Orkut)


E eu parado, ali, na recepção da clínica, com o exame na mão, olhando fixamente para as oito letras do resultado: ENE – E – GÊ – A – TÊ – I – VÊ – O: NEGATIVO.
As duas recepcionistas nem ligaram para o tamanho berro que dei. Até uma médica veio ver o que estava acontecendo.
E, de novo, o caminho para casa foi em meio a lágrimas. Só que desta vez, de felicidade.
Felicidade compartilhada com meu pai, minha mãe e meu irmão.
Claro que os quatro foram rodear o monstro peludo que estava lá fora.
E o ano de 2006 veio seguindo feliz... A prefeitura, por conta do processo que movi contra o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), nomeou um perito que iria verificar o dia-a-dia do animal (só foi em casa uma vez – e quando o fez, estava com roupa branca. Adorei o pulo que Pepe deu nele, depois de ter mergulhado no barro do quintal), mas exigiu, de novo, o tal exame de PCR do sangue e dos linfonódulos.
O do sangue, tudo bem. Outro negativo. O dos linfonódulos não foi possível, porque os nódulos eram pequenos, quase imperceptíveis – um sinal de que a Leishmaniose não se manifestara.


Durante a copa do mundo de 2006, mais precisamente no jogo Portugal e Holanda, Pepe conheceu Princesa, a labradora da foto acima que viria, 59 dias depois, a ser mãe de seis filhotes lindos como o pai e charmosos como a mãe. Meus seis netos (apesar de eu me autointitular “tio” do Pepe, já que ele tem pai e mãe – ambos labradores).
Em outubro de 2006, Pepe ficou sem o avô dele. Foi doloroso ele perder o grande companheiro das caminhadas pelo quintal de casa todas as manhãs. Pepe conquistara o duro coração de meu pai. Tanto que meu pai não sabia ir ao quintal sem ter seu companheiro peludo correndo por todo o quintal.


Eis que chega 2007 e logo antes do carnaval, Pepe perde o tio. Talvez ele tenha sentido o golpe, pois nunca mais subira na janela do quarto para receber carinhos no focinho, como meu irmão sempre fazia quando estava na escrivaninha escrevendo algo para seu site sobre jornalismo. Aliás, depois da morte de meu irmão, aquela janela passou a não fazer mais sentido algum para Pepe.


E em julho, quando o Brasil ainda estava assustado com o acidente com o avião da TAM, em São Paulo, Pepe estava sedado na clínica para, a pedido do “ilustríssimo senhor juiz” (com letra minúsculas mesmo) e por sugestão do perito (aquele), fazer os exames de PCR do sangue, da medula e da pele. Seriam, segundo meus advogados, os exames mais importantes e que definiriam o futuro de Pepe. Só que o da pele, para ser feito, precisaram tirar cerca de MEIO centímetro de uma das orelhas dele. Meus advogados precisaram me segurar quando eu quase tive um ataque, na frente do perito, murmurando a palavra “assassino”. O perito ouviu.
Quinze dias depois, o resultado: NEGATIVO – NOS TRÊS EXAMES.
Outro berro de felicidade. Isso porque eu ainda estava mergulhado numa crise pelo pé na bunda que tomei daquela mesma criatura que sugeriu que eu entregasse para sacrifício (leia a parte 1). Confesso que naquele dia não estive triste.
E o mais importante: os advogados me disseram que depois destes resultados, o juiz não seria louco de pedir outro exame. Só que até hoje o “ilustríssimo senhor juiz” não deu a sentença final.


Resumindo a história que termina neste post: A força do amor realmente é imbatível.
Pepe – depois de minha mãe – é o grande amor da minha vida. Ele soube me conquistar. Ele soube e sabe me fazer feliz. É meu grande companheiro. Ele me permite a arte de brincar de ser feliz. De ser criança. De rolar na grama. De correr. De compartilhar grandes caminhadas. Pepe exige carinho, mas dá carinho. Pepe exige atenção, mas está lá prestando toda a atenção em mim. Pepe é fiel. Porque ele também ama. E sem dizer uma única palavra, Pepe consegue expressar e arrancar de mim o mais forte dos sentimentos: o verdadeiro amor!

Te amo, Pepe. Por toda a minha vida!

63 bedelhos!:

Marco Antonio 19 de abr de 2008 22:35:00  

Uma linda história, ainda bem longe de ter um fim. Não parece um belo filme?

Ah eu queria dizer mil palavras sobre isso, você sabe o quanto gosto de cachorros, o quanto me identifiquei com essa história e que compreendo toda a felicidade e sofrimento que você viveu e vive.

E você sabe como estou hoje, depois de perder mais um amigo.

E todas as fotos desses posts... todas, muito bonitas!

Tudo muito bom.

Mayna 19 de abr de 2008 22:36:00  

Nossa! que bom que tudo acabou bem! E ainda tem pessoas que não acreditam na força do amor.

http://maynabuco.blogspot.com

Blogger 19 de abr de 2008 22:38:00  

MARAVILHOSO seu relato! Emocionante a sua retribuição do grande amor que vc recebe: sua luta e enfrentamento de transtornos diversos para manutenção da vida do seu amigo, que verdadeiramente te ama. Nota 10!
Ciauzinho!

O Fênix 19 de abr de 2008 22:49:00  

cara, nao sei se posso dizer q eh boa tua historia, pq eh triste mas alegre

sei la

mas vc escreve muito bem

http://terradafenix.blogspot.com/

Lucas Conrado 19 de abr de 2008 22:53:00  

Que história maravilhosa!!! Apesar dos pesares, vocês passaram e venceram tudo! Muito bom mesmo!!!

Não há criatura mais fiel e amável que um cachorro! Estou louco pra ter o meu, mas só o arrumarei quando tiver minha casa.

Desejo tudo de bom a você e ao Pepe! Que sejam felizes juntos e por muito tempo!!!

Li Florencio 19 de abr de 2008 23:37:00  

um poeta!!!!

Blogger 19 de abr de 2008 23:49:00  

Prá vc e o Pepe:

ORAÇÃO DO CACHORRO

1-Minha vida não vai prolongar-se muito além de 10 anos. Nesse período, qualquer separação de você será muito dolorosa para mim.

2-Dê-me algum tempo para entender o que você quer de mim. Sou irracional, mas capaz de retribuir a sua estima.

3-Tenha confiança em mim. Eu sou leal.

4-Não fique zangado comigo por muito tempo. E não me prenda em um lugar como punição. Você tem seu trabalho, seus amigos, suas diversões. Eu só tenho você.

5-Fale comigo de vez em quando. Mesmo que eu não entenda as suas palavras, compreendo muito bem a sua voz e sinto o que você está me dizendo.

6-Esteja certo e seja como for que me trate, isso ficará gravado em mim através do condicionamento.

7-Antes de me censurar por estar sendo vadio, preguiçoso ou teimoso, pergunte se não há alguma coisa me incomodando. Talvez não esteja me alimentando bem. Pode ser que eu esteja com alguma dor, ou é apenas meu coração que está ficando velho e cansado.

8-Cuide bem de mim quando eu ficar velho; você também vai ficar e certamente terá quem cuide de você.

9-Não se afaste de mim em meus momentos difíceis ou dolorosos. Nunca diga a frase: "prefiro não ver" ou "faz quando eu não estiver presente". Tudo é mais fácil para mim quando você está do meu lado.

10-Lembre-se disto: se na velhice eu estiver ao seu lado, eu saberei compreendê-lo, meu amo, porque as relações misteriosas entre nós dois estão nos segredos de Deus.

Amanda Guerra 20 de abr de 2008 00:31:00  

Eu venho aqui faz pouco tempo. Desde meados de fevereiro, para ser mais exata. E nesse tempo, me acostumei a chegar aqui, dar risadas, refletir, qualquer coisa. Menos a chorar, como hoje.

Lendo seu blog e o do Marco no mesmo dia... só me dá vontade de sair correndo pra buscar meu filhotinho agora.

Sem mais.

Lopezz 20 de abr de 2008 08:57:00  

Euzer

jamais me emocionei tanto lendo um texto em um blog. História linda demais essa, fiquei extremamente feliz pelo bom final que ela teve. To com uma puta vontade de chorar aqui cara, sério. Vou lá abraçar meu maltês =]

Obrigado pela experiência maravilhosa que me proporcionou com a leitura dessa história.


www.therockzoo.blogspot.com

Juliana Gulka 20 de abr de 2008 09:10:00  

História perfeita meu amigo. Não consigo me imaginar em seu lugar e também não tenho palavras para um comentário decente...
Valeu pela viagem, eu aqui tentando imaginar tudo isso... Tenha um bom domingo Euzer, e pro Pepe também..!
Beijão

Frank Morgan 20 de abr de 2008 12:12:00  

Òtima história Euzer,
as imagens chamaram um pouco de atenção,principalmente a 2º.
Muito bom,continue escrevendo
Abraços
http://polvoloko.blogspot.com/

felithy 20 de abr de 2008 12:31:00  

Nossa,que fotos bonitas e é muito lindo a história de amor com o pepe,é muito lindo,voce esta dando um belo exemplo de como os animais mereçem respeito e carinho

Parabéns!!!

§van§ 20 de abr de 2008 12:32:00  

Eu, você sabia que eu ia chorar, né?
Porque, mesmo de longe, a história de vida do Pepe tembém acompanha a minha vida.
Tudo o que está escrito aí eu vi acontecer, chorei com você o resultado positivo, chorei com você os resultados negativos.
Admiro a sua força e determinação.
Admiro você, que entrou numa luta que todos consideravam perdida e ganhou.
E quem recebeu o maior presente foi você: o seu grande e verdadeiro amigo, por muitos e muitos anos ao seu lado.
Beijos à você e ao meu afilhado.

Bruna Lovegood 20 de abr de 2008 14:57:00  

Nossa, Euzer, quase chorei aqui lendo. Sério mesmo, cara, que bom que o Pepe tá bem e tomara que fique bem e viva por mto tempo com vc. Ele é mto lindo!
Eu tinha um cachorrinho, uma mistura de rotwailler com fila, acho, ele chegou através do meu pai, que trouxe do trabalho. Tinha 5 meses, por aí, mto lindo, fofo, impossível de ñ se apaixonar. Morreu com 1 ano mais ou menos. Veneno de rato, dado pelo meu vizinho, chorei no dia q cheguei da escola e meu pai tinha dito q ele morreu, era meu 1º e até agora único cachorro, e ele ñ tinha feito NADA pro meu vizinho! Ele mal latia! Nunca mais olhei na cara daquele homem, eu e meus pais temos raiva dele só de lembrar.
Queria mto mesmo ter um labrador, atualmente é um sonho.
Bjos pra ti e pro Pepe!

Bia Mecânica 20 de abr de 2008 15:40:00  

Ah que gracinha! Adorei a história! Que bom que teve um final feliz. Sinto pelo seu irmão... =/
Olha, desejo muita saúde pra vc e pro Pepe... que esta amizade dure por muuuuitos anos. Que Deus abençõe vocês.
Beijos*

http://pimentamecanica.blogspot.com

Lopezz 20 de abr de 2008 18:20:00  

tem certeza que comentou no blog certo, euzer? Vc falou que eu entendo de informática e aparelhos mp3 mas...bem a gente não entende muito disso não, nosso blog é de música xD

pergunto pq eu mesmo ja me confundi e acabei clicando no blog errado algumas vezes pra comentar...

é o www.therockzoo.blogspot.com

Hugo 20 de abr de 2008 19:16:00  

Deus abençoe a América

E abençoe vocês dois, li a história inteira agora, me encantei e gostei.

Sinto pelo seu irmão...

A vida segue seguindo e o que vale é o hoje

parabéns

ah! atualizei meu blog, passe por lá se puder

http://endlessblackhole.blogspot.com/

Alberto Pereira Jr. 20 de abr de 2008 21:08:00  

história muito bonita!
Euzer acho que "The Bubble' saiu em dvd já.. senão vc pode encontrá-lo na internet

Flávia Lago 20 de abr de 2008 22:03:00  

Oi fofo, vim retribuir as visitinhas que me fazes e fiquei aqui transbordando sensibilidade, tamanha a veracidade de seu texo. Sei muito bem do que falas e concordo contigo. É um amor incondicional, o olhar dos cães é o que mais me atrai porque passa uma lealdade inabalável.

Infelizmente não posso mais criar cães porque moro em ap (bem pequeno), mas sonho que num dia, não tão distante, eu possa morar numa casa com um quintal igual ao teu e tê-los correndo felizes e saltitantes atrás de mim.

Perfeito.

Beijos

carla m. 20 de abr de 2008 22:08:00  

eu estava ansiosa pelo final. é bom ver que teu amor te moveu tão longe!

Douglas Passos 20 de abr de 2008 22:28:00  

Puts cara!
quando eu vi aquela foto da sua mao com a pata do pepe eu achei muito legal
ai depois veio uma bela poesia( na verdade eu diria uma put@ poesia de tão bom tinha que utilizar de palavras politicamente incorretas heheh)

Ai depois esta historia super maneira

parabéns pelo blog

LUCAS DE OLIVEIRA 20 de abr de 2008 22:31:00  

AMIGO, CONHEÇA MEU NOVO JORNAL...
http://folhadasemana.blogspot.com/

visite-me e baixe gratuitamente a primeira edição em PDF ou JPG.

abçs

Flá Absolut 20 de abr de 2008 22:32:00  

Que lindooooooooooo ^^ e emocionante demais !!!!

gostei, gostei, gostei

PARABÉNSSSSSSSS

Letícia Castro 20 de abr de 2008 22:44:00  

Olha, Euzer, não precisa nem dizer que eu tô chorando, né?
Antes de mais nada, nossos sentimentos pelo teu pai e pelo teu irmão. Em segundo lugar, que coisinhas mais fofas os teus netinhos!!! hehehe A gente tb chama os nossos de netinhos, eu saia no quintal e ia falando com cada um: "Vem aqui com a vovó!" hehehe Mas só que tem esses sem-vergonhas sabe como é, né?
Hoje os nossos babies estaõ com outros pais, como já te disse e não temos nenhum por enqto, mas de vez em quando, eu falo para o meu marido: eu tô precisando de uma cachorroterapia! Aí vou até a casa da minha mãe e "dou febre nos dois poodles dela (e me auto-denomino de "tata" para eles).
Amamos a história do Pepe, nos emocionamos muito, ele realmente parece ser a coisa mais gostosa do mundo e continuem vcs dois com essa amizade maravilhosa. Os dois merecem porque dá para a gente ver que vcs se amam muito.
Muuuito obrigada pelo comentário no blog e tô colocando o teu link lá para a gente continuar se visitando, tá bom?

Um abração bem grande e outro beijo no focinho do Pepe.

Até!

Letícia.

http://babelpontocom.blogspot.com

Felipe 20 de abr de 2008 22:45:00  

Historia muito emocionante mesmo.
quando pensei em comentar pensei de cara, mesmo sem ver os outros comentários "merece um curta"

Mas por tudo que aconteceu merece até filme.

Veiga 21 de abr de 2008 04:06:00  

q bonito!!!

=]

Paulo Neto 21 de abr de 2008 04:44:00  

tambem tive 2 companheiros que infelizmente partiram, uma morreu no inicio desse ano e estava na familia a mais de 12 a mini(por causa do tamanho) e outra dog alemão morreu faz alguns anos se chamava brisa e tinha 11 na epoca, todas muito apegadas a mim, mas fazer o que, cachorros so duram 15 anos no maximo, temos que se acostumar com a morte antes que ela ocorra, acredito na reencarnação e segundo o kardecismo animais reencarnam toda hora, não sofrem quando chegam "do outro lado" =]

Wander Veroni 21 de abr de 2008 09:40:00  

Oi, Euzer!

Eu acho tão legal a sua relação com o Pepe q chegou até me emocionar. Seus relatos são de mta emoção e mostra o qto vc é leal aos seus sentimentos.


Abraço,

=]

Charles Araújo 21 de abr de 2008 11:45:00  

Que lindo!
Sinceramente, dificilmente eu vejo uma história de amizade com essa!
Ter um amor grande por um animal que sempre estará com vc, fazendo travessuras, lambendo sua orelha, destruindo os móveis...^^
O amor sempre está lá, o companheirismo é inegável, e com certeza é muito mais fiel do que certos humanos!
Linda história de vida, parabéns.

gEsiEl vArgAs 21 de abr de 2008 12:06:00  

A história é schow...

mas vou meter o bedelho no poema: muito legal. É satisfatório ver que, num mundo onde as pessoas querem encontrar outras maneiras de explicar a criação, ainda há quem conserve a fé de q: "Quando Deus criou a terra e o céu..."

Diário de uma muçulmana 21 de abr de 2008 12:27:00  

Oi,você visitou o meu blog então vm meter o bedelho no seu,rsrs

Borboleta 21 de abr de 2008 12:36:00  

Da até vontade de chorar, tamanho é o amor que você sente por Pepe, quem dera toda a humanidade fosse assim, quem dera todos tivessem tanto amor para dar.. ao próximo..

caio arroyo 21 de abr de 2008 12:58:00  

Nossa que historia e que relato sincero, um amor de verdade de um homem e um cao, espero que de tudo certo e que logo esse juiz louco resolva isso

Conquistadores (Didixy) 21 de abr de 2008 16:48:00  

HOJE VENHO E FAÇO UM CONVITE PARA PARTICIPAR DA PROMOÇÃO NO BLOG.ENTRE JÁ, DESCUBRA E PARTICIPE VOCÊ TAMBÉM!!!

www.conquistadoresdm.blogspot.com

Mariana 21 de abr de 2008 19:29:00  

Que lindo!!!!!!!!

amei tudo...

isso pq nem gosto de animaizinhos...

beijos

Daniel 21 de abr de 2008 20:49:00  

Olá,
gostei muito do seu texto!
Muito, muito bonito!
É uma história tocante, que emociona mesmo!
Parabéns pelo blog!

Abraços,
Daniel.
www.sovento.zip.net

Léo 21 de abr de 2008 22:09:00  

Mto bom o seu texto, ainda bem q o final é feliz..
Gosto mto de cachorros..
Falou,,...

http://tunel-do-carpo.blogspot.com/

Jeh Ribeiro 21 de abr de 2008 22:12:00  

eu tenho uma labrador aqui em casa.. a Tuca... eu poderia escrever uma história sobre ela tmb... eu amo ela mais que tudo!!!
parabéns pela história e pelo cachorro!!

bjOs!

¤ Ð∂ηïєℓα Pïrєﻜ ¤ 21 de abr de 2008 22:28:00  

ainn q fofaa a cadelinha com os filhotes... elaia essa é dengosa heinn

¤ Ð∂ηïєℓα Pïrєﻜ ¤ 21 de abr de 2008 22:52:00  

e vivaaaa ao pepe q é a coisinha mais fofa

Jack 21 de abr de 2008 23:26:00  

temos mtos sentimentos... isso é inegavel.

basta falar o que vc gostaria de dizer a eles tudo o que gostaria de dizer, como se fosse uma pessoa.

esse é o segredo.

mato meu amor quase todos os dias.

=)

Aline Dias 21 de abr de 2008 23:28:00  

Eu não queria cair no clichê de dizer que seu cachorro é lindo e vc escreve muito bem.
Mas a verdade é que vc escreve mt bem e tem um cachorro lindo.

Eduardo Ximenes 21 de abr de 2008 23:39:00  

Cara, gostei muito desse post..muito sentimento mermo!
gostei mermo

abracos!

Mo 22 de abr de 2008 00:11:00  

Putz tbm tive cachorro que morreu com 21 anos nem era nascido e ele foi embora, mas com certeza deixou boas lembranças para min. Eu sei o quanto é triste perder um animal de estimação pois já perdí muitos e foram embora velhinhos, me deixaram muitas saudades. O importante de tudo é que ele teve você que o protegeu, deu amor e carinho e isso fica para sempre.

Rafael Carvalhêdo 22 de abr de 2008 01:13:00  

Cara! Dividiu os três posts certinho em 3 atos de um roteiro cinematográfico.... heuheuehueheu

Olha! Muito legal seu post e muito comovente sua história e a de Pepe. Eu fiquei meio na dúvida sobre a doença (Que doença maluca, cara: tumores, parasitas, contágios, tratamento químico pesado). Que barra!

Pepe é um verdadeiro lutado, e vc tbm.

Parabéns!

Vida longa ao Pepe!

> bob.loco .... ! A VIDA EH LOKA MANO! 22 de abr de 2008 01:52:00  

cara ADOREI a sua historia
aqui a familia tem 2 labradores, eu tenho uma labradora preta que amo mto, eh mto linda, mora aqui em casa, e o pai tem um caxorro igual ao seu, amarelo que mora pra fora, ela jah deu cria duas vezes primero a 7 filhotes e depois a 4 mto lindos, mas tivemos que vender, adorei seu amor pelo caxorro me fez lembrar mto do meu, nos jah tivemos mtos caxorros infelizmente poucos duraram mto tempo...

abração
se quiser passa no meu


blog: http://ehtudoloco.blogspot.com

comu: http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=48465553

The Secret 22 de abr de 2008 12:02:00  

Que lindo meu amigo. Beijos

Jornalista Azarado 22 de abr de 2008 12:38:00  

O amor é lindo.. seja entre familiares, entre namorados ou entre amigos. A força do amor é a mais poderosa que existe, a mais pura e a mis inexplicável. Ela faz coisas aparentemente impossiveis. Que bom que seu amigo/filho/companheiro está ai, forte, saudavel, feliz... E pode ter certeza, você foi importante para ele vencer essa luta. Do jeito que você o ama, ele também sente o mesmo por você e a cada dia está ai para te mostrar isso.
Emocionante a historia e fico muito feliz pelo Pepe, que segue firme!
E sinto muito pelas perdas ao longo do caminho da vida...
Mas terminemos esse post de maneira feliz, curtindo o amor, nas mais diversas formas!

Edu 22 de abr de 2008 13:28:00  

Linda história mesmo!!!
Muito lindo seu cachorro!!! Aquelas fotos da parte 1 então... ahuahua

Poxa... muitas felicidades para você e para o Pepe!!!

=D

Eu já tive cachorros, mas nunca me apeguei tanto. Quem sabe mais para frente.

Nanda Kiedis Declama 22 de abr de 2008 17:06:00  

Ai mais que fofura essa sua homenagem ao seu melhor amigo. Sabe eu tinha um cachorro que era tudo pra mim, só que um dia o pior aconteceu, nossa chorei tanto e vira e mexe algumas coisas me trazem lembranças dele e eu torno a chorar, seu poste fez isso comigo.
Se vc tem uma esposa, namorada, etc. deve sentir muito ciúmes desse seu sentimento por ele, eu não tinha ninguém na época mais meu irmão que era bem próximo de mim sentia muito ciúmes.

Ótima iniciativa deste poste, amei1

Bjs

Bjs

An@Lu 23 de abr de 2008 17:00:00  

eu tenho uma amiga assim. Chama-se estrela regina e é uma coelha. linda a história.
peguei no meio mas vou voltar para ler tudo. esse amor que a gente tem pelos bichinhos é bom demais.

Alcione Torres 24 de abr de 2008 00:36:00  

Sei muito bem o que é isso. Tenho uma cadelinha que é tudo pra mim! E agora, ela tem filhinhos!
Sarapatel de Coruja

Danilo Moreira 24 de abr de 2008 21:33:00  

Essa postagem quase me arrancou lagrimas.

Lembrei-me do meu primeiro cachorro que perdi há quase 8 anos atras de uma maneira trágica, tb por motivo de doença.

O bonito nessa história é o amor q vence tudo.

Sem dúvida, de todos os combustíveis que movimentam a nossa vida, esse é o maior, ao lado dos nossos sonhos.

Abçs!!!

Fábio Buchecha 24 de abr de 2008 23:45:00  

Tipo, 59 dias e ela já deu uma catracada com a Princes. O bixo é bom mesmo =P
___________________________________
TemPraQuemQuer

Sara Albuquerque 27 de abr de 2008 12:29:00  

Muito bom escrito!
Segunda vez por aqui...
E, novamente, parabéns! ^^

MPC Olinda 29 de abr de 2008 09:47:00  

Parabéns pelo cão q vc tem! E parabéns pela amizade de vcs 2!

Ana Marques 29 de abr de 2008 23:56:00  

Olha... não sou fã de cachorros de uma forma geral, mas admiro toda forma de amor que independe de status, sociedade, leis e convenções... Admiro o amor natural, que é dado e recebido como presente não como obrigação.
Agora, o mais importante, a história é magnífica e você a conta com profunda sensibilidade.

Você tem sorte de ter o Pepe. Mas veja bem, o Pepe tem uma TREMENDA sorte de ter você.

Parabéns!

Elton D'Souza 30 de abr de 2008 00:54:00  

Cara se todos tratassem seus cachorros som menos da metade do carinho q vc tem pelo seu cão não teriamos cães pelas ruas todos machucados, com uma aparencia horrivel

história emocionante, ainda bm q terminou bm

http://cienanosdesolead.blogspot.com/

Flavitcho 1 de mai de 2008 20:33:00  

Ah, gente.
Q bonito!

Adorei demais o resultado

:D

Parabens! pros dois!

Lucas Santiago 4 de mai de 2008 23:01:00  

Cara... muito bonita a sua história com o Pepe...
O melhor de tudo é saber que em momento algum vc o abandonou...

Com certeza ele nunca vai te abandonar tbm...
Eu to precisando de um amigo desses pra mim...
Belas palavras as suas...
Mesmo com textos grandes, é impossível não ler até o final...
Parabéns cara...

Anônimo 17 de mai de 2008 13:32:00  

Só quem ama esses maravilhosos seres que sabem o que passamos por eles.....
Adorei!!!

Alexandra 1 de out de 2008 00:36:00  

Oi Euzer, agora eu já sei o resto da lindíssima história de amor e amizade entre vc e Pepe. Não tenho palavras pra te descrever como me sinto. Uma vez me perguntaram o que foi que sentí quando meu filho nasceu e eu respodí: Não dá pra explicar, só dá pra sentir. è mais ou menos assim que estou agora, mas sua história me fez chorar. Acho que o Pepe tem muitasorte de ter um amigo assim como vc. Um abraço pra vcs dois.
alexandravet2004@yahoo.com.br

Moniquinha 21 de abr de 2009 00:16:00  

Lindo o amor que tem pelo seu Pepe. Sempre me emociona conhecer pessoas que pensam como eu. É absurdo pegar um animal jovem e saudável e entrega-lo para sacrifício. Nao consigo imaginar fazendo isso nem com um animal moribundo... sempre penso que há solução, tratamento. Desejo toda sorte pra voces. Todo sucesso nessa luta emocionante. Voces vão ganhar.

  © Blogger template Skyblue by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP