Banner: Marco Antonio ///// Produção de Layout: Mariana Nunes

AMOR MAIOR QUE A MORTE - A história e a vida de Pepe, meu cão - parte 2

>> domingo, 13 de abril de 2008

"Quem nunca sentiu um amor verdadeiro,
talvez seja por nunca
ter tido um cão"

(Autoria desconhecida)


Eu tinha duas escolhas a fazer: ou continuava chorando e esperava, impassível, meu cachorro ser levado para sacrifício ou correria contra o tempo.
A veterinária me passou duas clínicas da cidade que estavam fazendo tratamentos em animais com leishmaniose. Uma delas, por sorte (dedo de Deus, só podia ser) ficava a apenas 300 metros da casa dos meus pais.
Era corrida contra o tempo, porque, por uma determinação legal, a veterinária teria de comunicar ao Centro de Controle de Zoonoses que havia um animal infectado.
O veterinário então, explicou como seria o tratamento:

A primeira providência

O mosquito-palha (vetor, ou transmissor da doença) só ataca à noite. Portanto, Pepe deveria ficar confinado num canil telado desde pouco antes do sol de pôr até alguns minutos após o sol sair no dia seguinte. Sim, isso seria um fardo, porque Pepe nunca, jamais, ficara preso. Nos primeiros dias foi um horror. Ele latia desesperado. Os vizinhos devem ter ficado alarmados. A construção do canil levou rápidos 3 dias. Os homens da loja sentiram minha urgência e, R$ 800,00 depois, entregaram a obra pronta. E eu tinha de ficar com Pepe o maior tempo possível, para ele não se sentir tão chateado. E eu falava (sim, falava) com ele, pedia calma, pedia paciência, porque aquilo ia passar.

A segunda providência

Ele deveria tomar, enquanto vivesse – portanto, toma até hoje – dois comprimidos diários de Alupurinol 300 mg. Esse comprimido faz o que? Evita a replicação do protozoário. Ou seja, seria como se se esterilizassem todos os protozoários. Fazendo uma comparação grosseira, seria como se todos os seres humanos passassem por uma cirurgia para não ter filhos. Seria o fim da humanidade.
Fazendo outra comparação com humanos, seria como o coquetel que um aidético tem de tomar enquanto estiver vivo: todos os dias, a vida inteira.

A terceira providência

Deixar protozoários vivos não bastava. Teria de exterminar todos, no menor tempo possível. Duas vezes por semana, durante oito semanas, ao custo de R$ 50,00 cada sessão, ele tomaria um soro com um medicamento fortíssimo chamado Anfotericina B. Comparando com os humanos, o poder deste medicamento equivale a uma quimioterapia. O animal poderia ter enjôos, ficar desanimado e haver queda dos pêlos.
Pepe não teve enjôos, não perdeu pêlos e estava cada vez mais animado... Mesmo não gostando muito de entrar na sala de tratamento, o fato de meu pai, com 80 anos, pegar a coleira toda segunda e quinta pela manhã era uma festa para aquele bicho peludo de 27 quilos, que iria passear e encontrar as moças da clínica.
Pepe encarava isso como uma festa.


A quarta providência

Todas as noites, confinado, eu passava um spray de citronela nos pêlos de Pepe. Isso era um repelente (igual ao OFF que usamos quando vamos à praia, ao campo, ao camping, enfim, onde haja pernilongos). Além disso, passou a usar a coleira antiparasitária Excalibur e doses mensais de Front Line Plus, que elimina pulgas, carrapatos e outras pragas. E banho a cada 15 dias.
Foi quando mudaram meu horário no serviço. E eu passei a sair às 16:30h. Tive a idéia: sairia com ele para passear, deixaria o cão cansado e poderia, então, confiná-lo sem tantos latidos. Brilhante idéia. Nunca mais pensei em fazer academia de ginástica. Caminho com ele TODOS OS DIAS, cerca de 12 quilômetros, por duas horas. Saio do serviço, corro à casa da mãe, troco de roupa, saio com ele. Ele ouve o barulho da moto na esquina e já começa a latir desesperadamente. Sabe que é hora de levar o dono para passear. Pepe, desde então, é meu personal dog.

Ah? Sobre o Centro de Controle de Zoonoses? Eu entrei com uma ação contra a prefeitura. Só de advogado foram mais R$ 1.000,00.

O tratamento com a Anfotericina acabou e dois meses depois era hora de repetir do exame PCR. Dez dias levou para chegar o resultado. Dez dias de angústias. Dez dias de desespero.

O resultado do exame chegou numa – de novo – sexta feira. Saí do serviço e fui buscar o envelope. Não resisti. Abri lá mesmo... E aquelas oito letras do resultado me deixaram, por alguns segundos, completamente sem ação.


Aguarde o final desta história. Não perca o próximo post. Se perdeu a primeira parte, leia logo abaixo.

47 bedelhos!:

juan 16 de abr de 2008 22:01:00  

fiquei curioso...gosto de cachorros tanto quanto gosto de carros antigos...voltarei aqui...abraço...

Lopezz 16 de abr de 2008 22:05:00  

vou ler todos até o fim


www.therockzoo.blogspot.com

Veiga 16 de abr de 2008 22:17:00  

emocionante!!

posta logo o resto da historia!

HAUshUAHSuaS

abraço

Fábio Buchecha 16 de abr de 2008 22:21:00  

E? E? Putz, não existe isso Euzer. Encerrar o texto como quem encerra um capítulo da novela das 8... Não existe...
___________________________________
TemPraQuemQuer

NANA 17 de abr de 2008 00:04:00  

Droga!
No melhor vc para?
Sacanagem... =(

Daqui há um tempo, bem distante pra ninguém lembrar do Pepe, contarei as peripécias de Bolinha, minha cachorra idosa. Sobre tudo que já passei com ela...
Beijos


http://noticias-irrelevantes.blogspot.com/

Nanamada 17 de abr de 2008 01:12:00  

Euzer priminho, ola no site www.slide.com, voce escolhe a função fazer um video e dentro das ferramentinhas, onde tem musica, estilo e etc tem tambem tamanho ai vc muda a numeração

Banzooo 17 de abr de 2008 01:21:00  

poxa, quero saber o fim!... amo cães, e entendo perfeitamente o q vc sentiu, já passei por algo semelhante, de ter um cãozinho q tanto se ama condenado ao sacrifício... linda sua obstinação em curá-lo...

e agradeço a visita em meu blog, volte sempre

[Vanessa B.]

Jonathan Alves 17 de abr de 2008 01:47:00  

Uma bela historia de amor

Gaia 17 de abr de 2008 02:17:00  

ainda não tive tempo de ler o Blog
Estive fora e perdi muitas coisas por aq :/
Mas logo voltarei para ler!..e claro, comentar! :D
Ah, mas jah votei na enquete, aq em casa ao total tem 3 cães e 1 gato, mas o meu mesmo é apenas 1, o Pingo! Que eu AMO muito! *___*

Cães são TUDO! :)~

E o seu, pelas fotos q já vi, é muuuuioto lindo x}~
Parabéns! :))))

Lucas Conrado 17 de abr de 2008 08:23:00  

Ah não!!! Que letras foram aquelas?! Conseguiu mais uma vez prender a atenção dos leitores!
hehehehehehehehe

Essa parte me lembrou a propaganda do Master Card:
Canil vedado: R$800.00
Vacinas: R$50.00
Advogados: R$1000.00
Não perder o melhor amigo: não tem preço.

Jornalista Azarado 17 de abr de 2008 08:34:00  

Poxa Euzer, sacanagem parar a história ai... hehehehehe... Mas, de todo modo, te parabenizo, novamente, pelo tratamento dado ao cão (eu também conversom com as minhas cachorras...¬¬'... fazer o que né... elas me entendem...kkkkkkkk). Espero curioso pela continuação!

Ju 17 de abr de 2008 09:32:00  

Euzer! Amei o blog agora de cara nova! Ah e a historia do Pepe eh linda demais!
Eles comecaram a filmar Marley e eu aqui nos Estados Unidos, nao pude deixar de lembrar de vc.
Bom fds, to morrendo de saudade!
Amo vc

Mayna 17 de abr de 2008 09:39:00  

Vou aguardar o final da história!
Estou curiosa!
http://maynabuco.blogspot.com

Lady 17 de abr de 2008 10:51:00  

Amor é isso. Incondicional.
Grata pelo comentário.
Vejamos logo o fim dessa história!

^^v

http://ameninalady.blogspot.com

Juliana Gulka 17 de abr de 2008 20:09:00  

Meu Deus!
Não demore com a continuação...
sou curiosa demais..
=*

Paladyno 17 de abr de 2008 21:18:00  

Espero que a notícia seja boa...
Eu tenho um pincher e amo muito ele, é o meu xodó. É super-apegado a mim e eu a ele...
Não sei como reagiria se descobrisse que ele está doente ou algo do gênero...

Eduardo Franciskolwisk 17 de abr de 2008 21:25:00  

muito legal o seu texto. realmente, as historias reais sao as melhores...

mas foi sacanagem não contar o final. me decepcionou.

Jms 17 de abr de 2008 22:16:00  

nossa muito boa a história só que falta o finalllll
gosto muito de cachorro ( mas prefiro jabuti)
vou aguardar pelo final :)

se der comente também no meu blog
http://jmstv.blogspot.com

Fabio Bustamante 17 de abr de 2008 22:46:00  

passando aqui pra retribuir o comentario! estou sempre acompanhando suas postagens, e estou achando muito comovente, e vejo a luta que voce teve pelo seu cachorrinho...e como no titulo da postagem AMOR MAIOR QUE A MORTE! "Quem nunca sentiu um amor verdadeiro, talvez seja por nunca ter tido um cão"-Linda Frase...vi q vc tem um otimo coraçao...

www.futebolediscussoes.blogspot.com

juan 18 de abr de 2008 23:27:00  

disse que voltaria...continuo no aguardo...abraços...

¤ Ð∂ηïєℓα Pïrєﻜ ¤ 18 de abr de 2008 23:30:00  

hahahahahahahahaha
q massaaaaaa possso mete o bedelho aquiiiiiiiiiii \a/\a/\a/\a/

ahh e q cachorrinhoo fofissss =)

Bia Mecânica 18 de abr de 2008 23:43:00  

Ohh dó do cachorrinho, sow!! Isso me lembrou de um cachorrinho que a gente teve. Ele vivia doente, tadinho, pq tinha imunidade baixa, acho... pegava peladeira, gripe etc rápido d+. Minha mãe gastou dinheiro com ele, viu... teve uma vez que deu pneumonia nele. Nossa, minha mãe quase ficou doente por causa dele, pensando q ele ia morrer. Quando o Paquito já está bonzinho já, um portão de madeira que tínhamos em casa caiu em cima dele. Nooossa, imagina o nosso desespero!!! Ele não resistiu e morreu. Nessa semana fez 8 anos que ele morreu. =/

Beijos*

¤ Ð∂ηïєℓα Pïrєﻜ ¤ 19 de abr de 2008 00:08:00  

ahhhhhhhhhhhhhh é muitooo amor por esse cãozinhooo
eu adoro minhas duas dogs e meu gato auauhauhahua

fOr'll'y 19 de abr de 2008 00:34:00  

se nao fossem meus cachorros e meus felinos eu já estaria morta
;D

muito bom seu blog o/

fOr'll'y 19 de abr de 2008 00:55:00  

;D

Latinha 19 de abr de 2008 01:10:00  

Rapaz... eu sei bem o que é isso... ano passado meu Boxer passoou por isso. Infelizmente o fim da história não foi feliz, mas foram exames e mais exames...

Só que ele já era um jovem senhor idoso e não aguentaria o tratamento e para piorar começava a aprensetar uns sintomas...

Adoro/adorava ele...

Grande fim de semana para você!!!

Gaia 19 de abr de 2008 01:10:00  

agora li a história a primeira parte a segumds parte. to curriozissima pra saber oq aconteceu!!! Mas espero que tenha ocorrido tudo bem com o Pepe!
Ah e passa lá no meu Blog tem uma coisinha pra vc lá!!! :D
Espero que goste! :P

Bazófias e Discrepâncias de um certo diverso 19 de abr de 2008 01:17:00  

história deveras interessante! utilidade pública...

Letícia 19 de abr de 2008 02:52:00  

Tô adorando e vou continuar lendo. Ri muito com o "levar o dono para passear". Engana-se quem pensa que é o dono do cachorro. hehehe
O nosso cocker macho tinha o costume de ficar deitado à porta da sala, enqto assistíamos tv. A porta tinha uns 40 cm de barrado de ferro e o resto era de vidro. Pois de meia em hora, ele se levantava, erguia a cabeça e olhava como a gente estava lá dentro. Ao que a gente respondia: estamos bem, Chubby, pode ficar tranquilo! hehehe

Cachorro é tudo!

Beijão!

Letícia.

PS: Obrigada pelo comment.
http://babelpontocom.blogspot.com

Letícia 19 de abr de 2008 02:55:00  

Que lindo o que o Lucas Conrado disse! Não tinha visto!

Falou tudo!

Amanda Guerra 19 de abr de 2008 03:40:00  

eu fico uns dias longe, chego aqui e você logo falando de cachorros. Eu tenho um vira latinha qu surgiu por acaso na minha vida que eu amo absurdos.

Mas PRECISO saber o fim da história, tô angustiada aqui!!! =(

carla m. 19 de abr de 2008 14:10:00  

assim tu mata os leitores de ansiedade!!!!

esperando tu postar...

Fernanda Miranda 19 de abr de 2008 14:27:00  

Que bom q saiu a segunda parte da história...tava curiosa!
Tô adorando essa história...vc deveria escrever um livro: Pepe e eu...hihihi
Muito legal...me avisa qdo sair o próximo capítulo.
Bjosss

Bom fds!

Mariana 19 de abr de 2008 14:28:00  

e ai e ai??????

quero demais saber....

mande oi para pepe...

beijos

Marco Antonio 19 de abr de 2008 15:01:00  

e o meu caçula... não amanheceu hoje.

Lanterna Verde 19 de abr de 2008 15:35:00  

vlw pelo coment no http://asseteartes.blogspot.com/

que complicado esse negocio do seu cão!
Adoro cachorros tbm e to doido pra morar numa casa pra ter um...

aguardando o final da historia...suspense!!!


vlw

Maximus (dm) 19 de abr de 2008 19:02:00  

ta dando um erro doidaum no seu negocinho de comentarios..

Dando um aviso.. rsrs

Interessante a historia e muito show, mi faz lembrar que tenho que terminar de ler um livro que fala sobre tal assunto, e tbm mi fez lembrar da dupla dos cachorros bagunceiros que tinha.

Puxa vida, que Saudades...

Muito bomn.

__________________________________
www.conquistadoresdm.blogspot.com

Ate Mais, valeu!

Danilo Moreira 19 de abr de 2008 21:21:00  

Nossa, essa postagem me tocou forte agora. Meu irmão passou uma situação um pouco parecida com a cachorrinha dele, tb da raça labrador.

Eu há oito anos, perdi o meu cachorro q me acompanhou desde a infancia, no caso dele já estava velhinho e de uma hora para outra, ele teve derrame.

Até hj, mesmo adulto, ás vezes me pego pensando nele. É mesmo um amor maior q a morte.

Voltarei aqui para acompanhar o final.

Abçs!!!!!

Thiago Borges 19 de abr de 2008 21:27:00  

Cara, eu tenho uma cachorrinha...
Imagino o dia que ela morrer eu entro em depressão "/

Eu tive um cachorro que morreu e chorei pra caramba, mas ainda assim sou mais apegado à minha atual...

Muito triste mesmo quando a gente se apaga a um animal e vemos ele morrer "/

Blogger 19 de abr de 2008 21:39:00  

Muito lindo seu relato! Emocionante e esclarecedor, principalmente pelas informações colocadas neste segudo post. Muita gente não sabe que há esperança para a vida de seu animalzinho e sucumbe às pressões advindas de todos os lados. Amei de verdade a sua história e do seu cão. Recentemente perdi um dos meus cães por rro de diagnóstico. Foi uma perda inesperada e que muito abalou a todos. Obrigada pelos úteis esclarecimentos que vc tão bem coloca: há luz no fim do túnel.
___________________________________

Daniel Cabrel 19 de abr de 2008 22:02:00  

Realmente muito emocionate a historia do Pepe! Da até pra fazer um livro \o/
Muito bonita mesmo

Os melhores sites PTC 19 de abr de 2008 23:10:00  

Muito bonito seu cachorro.

Diferente um blog sobre cachorro.


Abraço

___________________________________

Aprenda a fazer ligações nacionais e internacionais de graça


www.5melhoresdicas.blogspot.com

Rafael Carvalhêdo 22 de abr de 2008 01:01:00  

hueheueheu... personal dog é uma boa! Foiuma verdadeira batalha hein, pra salva o Pepe!

Alcione Torres 25 de abr de 2008 00:21:00  

Pepe é lindo!!
Sarapatel de Coruja

Flavitcho 1 de mai de 2008 20:24:00  

Ai, muito bonitão o Pepe!
Vou continuar a leitura agooora..
Espero q dê tudo certo. =]

Prof. Vaz 2 de mai de 2008 18:33:00  

poxa vida! sempre me emociono quando me lembro da minha primeira cachorrinha [tinha até nome nerd: Judy Ansy ]

Gostei do blog, Euzer! abraço!

Vaz

Alexandra 1 de out de 2008 00:22:00  

Euzer, eu consigo enxergar o tamanho do seu coração através da leitura da sua história com o Pepe. è muito raro encontrar seres humanos "do bem" assim como vc. Se eu ficar sabendo que 8 letras foram aquelas que estavam estampadas no resultado do exame dele, vou ficar contente, mas já estou satisfeita em ter chegado até a parte onde vc "brigou" pela vida deste filho que te ama incondicionalmente e faria o mesmo ou mais por vc. Um abraço pra vc e pro Pepe

  © Blogger template Skyblue by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP