Banner: Marco Antonio ///// Produção de Layout: Mariana Nunes

Nós, as biscates (primeiro post de Lulu Torres)

>> sábado, 3 de maio de 2008

- Lulu, sabe quem eu vi no mercado esses dias?
- Não, Euzer!
- A Bia!
- É?
- Estava com o noivo, mas não me viu...


Desde que o mundo é mundo, sempre existiu o conceito de que homens devem ter todas as mulheres que conseguir: ele sempre será o bonzão, o gostosão, o poderoso. Mas vai a mulher ficar com um... Logo ela vira a vaca, a biscate, a puta e coisas piores.
Conheço Bia há mais de 10 anos. Ela é amiga de Valquíria, uma grande amiga minha até hoje. Sempre saímos juntas, as três. Estudávamos na mesma faculdade, mas não fazíamos o mesmo curso.
Um belo dia, Bia começou a receber “galanteios” (minha avó iria amar eu escrevendo esta palavra) de um babaquinha aqui da cidade. Ele ligava todos os dias. Sempre estava onde Bia estava: no bar, na boate, no show, no teatro. Sempre gentil, educado, fino. Para Bia ceder aos seus encantos, era questão de tempo.
E aconteceu. No fim de noite, eles saíram juntos e no domingo, Bia era a pura felicidade. Felicidade que se transformou em dúvida, depois em desespero e por fim sofrimento. O babaca, que se chama Roberto, simplesmente sumiu. Não atendia mais seus telefonemas, sempre estava ocupado ou tinha compromissos. E a “fama” de Bia na cidade espalhou-se rapidamente.
Eu me refiro a Bauru como um fogão de seis bocas. Em cada boca você coloca uma panela. Bauru é isso: uma cidade de 350 mil habitantes com suas panelas. E em cada panela, um grupo de pessoas que não se comunica com os outros grupos. Portanto, as coisas que acontecem em nosso grupo logo se espalham, como se a panela estivesse com água em fervura.
Bia entrou numa profunda depressão. Qualquer coisa, chorava. E, entre a saudade de Roberto e os olhares para ela, parou de sair. Bia, que era alegre, divertida, alto astral, “queimou a lâmpada”. E precisava ser urgentemente trocada.
Eu poderia ter agido de forma diferente. Só que eu não tive outra idéia – e talvez se eu a tivesse tido, não saberia agir. Mas enfim... O que eu iria fazer? o mesmo que Roberto fez com Bia: conquistá-lo e depois desprezá-lo.
E assim foi. Na boate, ele estava lá, cerveja na mão, olhares procurando a primeira pra cair na rede. E eu me fiz de “donzela a ser conquistada”. Ele veio falar comigo, dei uma de difícil e nem sequer ficamos. Na semana seguinte, o mesmo jogo duro de donzela... Na terceira semana, beijos, muitos, mas nada além. E ele querendo ir pra casa dele. E fora os intermináveis telefonemas e torpedos.
Até que aconteceu. Fomos pro apartamento dele e, se não dei a melhor trepada da vida dele, foi uma das mais inesquecíveis que só foi terminar no domingo à tarde. Não nos vimos naquele resto de dia, mas, claro, todos ficaram sabendo, porque ele foi ao bar que “nossa panela” toda ia na noite de domingo.
Bia, claro, ficou puta da cara comigo. Ligou pra me xingar, que eu tinha sido uma traidora, puta, vaca, biscate, que sabia que ela gostava dele, por que eu fui ficar com ele, e tal. Não falei nada. Deixei Bia descarregar toda sua ira em mim. Ah, Roberto não me procurou aquela semana.
No sábado seguinte, eu e Sérgio fomos pra boate. Sérgio não conhecia o cara, então, parti para a segunda parte do plano: beijei Sérgio perto de Roberto. Ele, claro, viu. E aí foi correr atrás do prejuízo. Numa hora que eu saía do banheiro, ele veio falar comigo. Eu disse que estava acompanhada e falaria com ele outra hora. Ignorei legal.
Na noite de domingo estávamos eu, Sérgio e Euzer no bar, quando
ele chegou. E veio tirar satisfações comigo. Cobrou eu não ter ligado pra ele, cobrou eu ter ficado com outro na boate, cobrou, cobrou, cobrou. E tudo para que todos no bar ouvissem. Quando ele terminou de falar, eu apenas disse algo do tipo: “Engraçado, você fez isso com a Bia dia desses... Por que só eu estou errada? Ah, se toca, rapaz. Você não vale nada. É um merda, um idiota. Fica aí metendo banca de don Juan, não passa de um conquistadorzinho barato. Vê se cresce e não enche meu saco!”.
Depois daquela noite, pararam de falar de Bia e logo ela pôde voltar às baladas sem se preocupar com julgamentos. Foi quando ela conheceu o rapaz que hoje é seu noivo.
Daquela nossa amizade sobrou pouca coisa. Quase nada, pra ser sincera. Mas ficou gratidão. Quase toda. Quero muito que Bia seja feliz.
Sei que não serei convidada para seu casamento, mas tudo bem. Estou com a consciência tranqüila que, ainda que por linhas tortas, fiz tudo direito. Do meu jeito, claro, mas fiz.
Ah, quanto a Roberto, continua com a vidinha de Don Juan, só que agora está saindo com garotas que têm quase a metade da idade dele. É o que lhe restou.

57 bedelhos!:

Eu Barros 3 de mai de 2008 10:50:00  

Incrievel *-*
Será que sou o unico sem namorada dos ultimos tempos? Argh! heheheheh

Everaldo Ygor 3 de mai de 2008 10:54:00  

Olá...
As relações, as amizades, a vida toda, são elas, as situações mais surreais que nos fazem viver...
Abraços
Everaldo Ygor
http://outrasandancas.blogspot.com/

britney view e leonardo 3 de mai de 2008 11:11:00  

post legal

se quiser fazer parceria so entrar em contato

Cláudio Apolinário 3 de mai de 2008 11:16:00  

desde crianças somos doutrinado por regras que nos dias atuais já se transformaram em poeira ... tanto a mulher, quanto o homem tem direitos iguais e cabe a cada um decidir o que é melhor pra si!

quando puder, soma um assunto lá:

somarassuntos

Wander Veroni 3 de mai de 2008 15:09:00  

Oi, Euzer!

Post excelente pra variar. Sabe qdo vc lê e viaja na história, imagina a cena e entra na clima.

Eu estou curtindo a história até agora, adorei!

Até lembrei do seriado "Sexy and the City" - que, na minha opinião, deveria ser obrigatório pra todos os caras q querem realmente entender um terço da cabeça das mulheres.

Lu Torres vc deu o maios presente do mundo pra Bia - a dignidade. Claro q ela deve ter ficado mto magoada, mas isso é normal qdo se está ferido. Ela só vai entender isso q vc fez mais tarde, bem mais tarde...

Tô maravilhado com os textos q o Euzer posta aqui...daqui a pouco ele vai ter um material excelente pra organizar um livro de crônicas.

Euzer, abração meu amigo blogueiro! Aprendo mto qdo passo por aqui...

=]

Marco Antonio 3 de mai de 2008 16:14:00  

Está aí um belo exemplo de como as pessoas podem ser surpreendentes. As pessoas que pre-julgaram anteriormente sua personagem devem estar se mordendo.

Como diz a brega - e nem por isso menos inteligente - expressão: "Abra seu coração".

Marco Antonio 3 de mai de 2008 16:29:00  

Já disse que é um excelente texto?

Rafael Carvalhêdo 3 de mai de 2008 17:02:00  

Euzer! Pra não falar o mesmo que eu já falei sobre esse texto, devo diz outra coisa muito importante.
Olha! A qualidade da trama foi incrível... das estórias escritas, essa foi a melhor e mais bem desenvolvida. Adoro a reviravolta, a forma como ela se dá e a coerência da reviravolta com a personalidade de Lulu, tudo a ver. Aliás, Lulu já é uma Grande personagem... isso se ela não for real... heuheue

Mas cara, show, show, show... concordo com quem disse que um dia vc vai poder montar um livro de crônicas.

Criatividade ou inspiração a mil, hein! Continue assim!

Amanda Guerra 3 de mai de 2008 17:07:00  

A lendária Lulu, ¨fêmea beta¨, apareceu para dar o ar de sua graça. E fez os hipocritinhas de plantão que a criticaram no outro post morderem a língua.

Como disse o Marco ali em cima, é tão bom se surpreender com as pessoas...


Beijos

Flavitcho 3 de mai de 2008 20:56:00  

Também adoro reviravoltas.

Gente ela fez o que achou certo, e o Roberto que ficou na pior né?!
Quem manda?!
=X


Ah sim.
Muito obrigado pelo comentário naquele texto que eu fiz sobre mim, tá?!

=D
Valeu mesmo!
\o/

Paladyno 3 de mai de 2008 21:12:00  

Só tenho uma coisa a declarar:
[O_O]

Camila Passatuto 3 de mai de 2008 21:15:00  

Nossa texto magnifico heim.

A amizade é assim, perdemos o amigo mas não perdemos a oportunidade de ajuda-lo ;P


Parabéns.

Fabio 3 de mai de 2008 21:25:00  

excelente texto, mt bom

carla m. 3 de mai de 2008 21:28:00  

nossa, admiro a sua coragem.

talvez uma amizade tão profunda que supere a convivência.

Marcel Ayres 3 de mai de 2008 21:38:00  

Ei !

Bacana o blog

bem organizado e criativo

Parabén !!

Net Esportes 3 de mai de 2008 21:49:00  

Acho que vc devia ter feito o plano com o conhecimento da Bia, talvez pudessem assim serem amigas até hoje.............. mas foi um belo plano de qualquer forma !!!!

http://netesporte.blogspot.com/

Latinha 3 de mai de 2008 22:06:00  

Eu adorei o texto... na verdade mesmo depois de todas as modernidades e avanços, as pessoas continuam sendo muito hipocritas com muitas coisas da vida "coletiva".

Se princípios como não fazer com os outros o que não queremos que façam conosco fossem respeitados... com certeza viveriamos muito melhor.

Parabéns pelo texto... muito bom!

Tito 3 de mai de 2008 22:08:00  

Muito bom o texto. Parabéns!

LI-VERISSIMO 3 de mai de 2008 22:58:00  

Parabéns! Realmente me surpreendi. O texto é excelente. Essa história daria um ótimo filme.
Pense nisso!!!

:)

Obrigada pela visita.
Bjs!

Fernando Gomes 4 de mai de 2008 02:09:00  

Bom texto, porém um tanto extenso. Mas devo dizer que valeu a pena ter lido.

No entanto eu penso que ao pagar com a mesma moeda simplesmente você se igualou à ele e provavelmente perdeu uma grande amiga, mas quem sou eu pra julgar. Cada um faz o que acha certo no momento e admiro sua coragem de fazer o que fez. Amigos vem e vão, nada é constante nessa vida.

Respondendo ao seu comentário: Quando o assunto é televisão brasileira o melhor é ter o controle beeeem perto.

Obrigado pela visita e se quiser volte sempre.

Aline Dias 4 de mai de 2008 11:48:00  

eu gosto dessas personagens fixas do seu blog.
e j� tinha gopstado da lulu na outra postagem.
engra�ado ver o coment�rio de cima reclamando da extens�o do texto.
normalmente eu tamb�m reclamaria, mas estou t�o acostumada com s�rgio enzo que �o acho necess�rio.
gosto dos textos que o envolvem, todos eles.
e gosto de como vc escreve com do�ura.

^^

www.literaturaboteco.blogspot.com
www.alinedias.blogspot.com

Mayna 4 de mai de 2008 11:51:00  

Mais uma ótima história!
Adorei a Lulu!
Sem contar que ela faz coisas que todas sempre queremos fazer (alguma até fazem), mas nos reprimimos por causa dessa hipócrita sociedade.

http://maynabuco.blogspot.com

Fábio C. Martins 4 de mai de 2008 11:57:00  

Show de bola!
Deus escreve certo por linhas tortas.. no caso a Lulu faz certo em linhas tortas... ;)

Bom, o importante é ser feliz e continuar procurando a felicidade em cada esquina ou ""numa mesa de bar..."

Abraços

ED CAVALCANTE 4 de mai de 2008 12:12:00  

OLHA, EU ACHO QUE VC JUNTOU O ÚTIL AO AGRADÁVEL. AGORA, JÁ PENSOU SE TODO MUNDO AJUDASSE OS AMIGOS ASSIM? O MUNDO SERIA UMA MARAVILHA! KKKKKKK

Ana Mattos 4 de mai de 2008 12:21:00  

Que história!!!

Mesmo que esteja "escancarado" o porque dos homens agirem assim, e a sociedade, no fundo, ainda é um mistério!

Continue com o Blog..

Ahh o Pepe é fofooo

Lucas Conrado 4 de mai de 2008 15:34:00  

É... é o que está no final, fez o certo do jeito errado. Essa parada que você escreveu no começo eu concordo em gênero, número e grau. Se um cara pega milhares de mulheres, ele é o garanhão, se e o contrário, ela é uma safada! Isso sem contar que quando uma mulher acha outra bonita é normal, e se isso acontece com um cara, é estranho... Não dá pra entender essas coisas.
É, mas eu no lugar da Bia, ia ficar muito brava com a Luciana...

Bruna Lovegood 4 de mai de 2008 18:59:00  

Eh isso aí, Lulu! *-*
Odeio esse tipo de homem, e não gosto de mulher fraca também, tem que saber dar a volta por cima. Já me trataram como biscate sem mesmo eu ter FICADO com um cara. Dei de ombros, falei pra todo mundo que eu não fiquei com ele, que ele implorou e eu disse não, fiz o cara de besta.

Uma amiga minha passou pela mesma coisa que essa Bia 2 ou 3 vezes. Deprimida, chorando por causa dos caras..Então eu dei mto tapa na cara dela, gritei, chamei de fraca, e no fim, ela ficou forte e nunca brigamos. Hoje ela lida com isso fácil (espero)

§van§ 4 de mai de 2008 21:47:00  

Peço desculpas a todos os homens que lerão este post, mas homem merece sofrer! Não mais do que faz uma mulher sofrer. Apenas na mesma medida!
Menos você, Euzer!

Flá Absolut 4 de mai de 2008 22:13:00  

Oiii

to aqui te visitando novamente!!! Já tinha deixado comentário nesse post. Mas é sempre bom fazer uma visita né!!!!

Bom final do final de semana :)

Daniely 4 de mai de 2008 22:31:00  

Gente!!Vc é uma cronista minina!
Corriqueiro, engraçado e simples!
Bem feito pro Roberto
Que a Bia seje feliz(pena ela não ter percebido a "manobra")
E parabéns a você!)
rs...abraço!

Flá Absolut 4 de mai de 2008 22:38:00  

Agora vi o letreiro

Uhuuuuuuuu!!! Parabéns para nós Palmerenses

:)

history- 4 de mai de 2008 23:07:00  

blog legal parabens!!!

Mikael Ferreira 4 de mai de 2008 23:11:00  

nossa parabens
sempre que venho aqui me surpreendo
cada dia melhor
parabens

http://feitodescolhas.blogspot.com/

BLOGDOED 4 de mai de 2008 23:48:00  

Comentário sincero:

Acho que textos grandes não funcionam em blogs ou na net.


Abraço

Fernanda Fernandes Fontes 5 de mai de 2008 00:07:00  

Nossa...acho que não teria coragem, mas sei lá... Engraçado é que no meu último post um Roberto também não se deu bem no final...rs.

Gostei do texto, viajei na história!

Abraços,

http://degustacaoliteraria.blogspot.com

Luís Guilherme de Oliveira 5 de mai de 2008 00:09:00  

Mulheres do meu coração, sejam mais expertas! Quando vocs vão parar e perceber que são superiores a nós? Vocês nos convenceram a comer a maçã, abriram a caixa de todos os males e são super phodásticas! Mulheres, já se esqueceram dos sutians (esqueci como escreve em francês) queimados em praça pública? De Merie Curie e da minha mãe? Mulheres fantásticas! Sejam livres! Eu as liberto!

Luís Guilherme de Oliveira 5 de mai de 2008 00:20:00  

Hey, Euzer!
É que sou um militante pela libertação de todos os povos oprimidos! Se vivesse no século XIX seria abolucionista, mas vivo hoje e lutop pela liberdade dos sexos e pelo fim da guerra que existe entre esses dois polos e seus caminhos intermediários, que são existentes e inegáveis!
Abraço!

BLOGDOED 5 de mai de 2008 00:23:00  

Cara, vc tatuou o seu cachorro nas costas!! kkkk

Que legal!


Eu também tenho um chorrão. O meu tem 1 ano e o seu?

Jornalista Azarado 5 de mai de 2008 07:43:00  

Cara, que raiva que eu tenho desses "Don Juans".. Bando de cretino, desgraçados... Odeio essa raça, que não sabe como tratar uma mulher... Esse final de semana, ainda bem, minha cunhada se livrou de um que a atormenta há tempos... Coitada.. Uma garota nota 10, de ouro, e sofreu por tanto tempo por causa desse imbecil... Lulu, pena que você, para ajudar sua amiga, perdeu a amizade dela... No lugar dela eu tbm ficaria muito bravo, magoado... E pena que esse trouxa não aprendeu a lição.. mas logo ele pagará por isso... a velhice vem para todos e a solidão para aqueles que plantaram a semente da tristeza... E que Bia seja mto feliz!

Moniquetudybom 5 de mai de 2008 10:23:00  

Não gosot de criar animais e não concordei com o texto, mas pelo ao menos demonstra sinceridade.
Sobre o texto lá que o Euzer comentou no meu blog, casar com a pessoa que traz a ideía central do texto é meio difícil, apesar da Bíblia nos chamar de noiva Dele.
um abraço!

Moniquetudybom 5 de mai de 2008 10:35:00  

No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.
Ele estava no princípio com Deus.
Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez.

Danilo Moreira 5 de mai de 2008 11:45:00  

Vc disse tudo: um homem que pega todas é o cara; uma mulher que pega todas é a biscate.

O que dói nisso tudo é saber que, de qualquer jeito, é a mulher que fica em desvantagem e é a que mais sofre.

Bem feito pro Roberto. Uma mulher de verdade se trata como mulher de verdade.

Abçs!!!

Tem Delírio no Em Linhas... confira!!!

----------------------------------
http://emlinhas.blogspot.com/

EM LINHAS...
Quando as palavras se tornam o nosso mais precioso divã.

Novo texto: Delírio - O Rancor
----------------------------------

Maria 5 de mai de 2008 13:36:00  

Isso é uma história real? Se for, desculpa pela opinião que vou dar hehe. Acho que existiam outros meios melhores de "vingar" o cara que magoou sua amiga que não incluísse magoar mais ainda a própria. Você não beijou ele e até foi para a cama com ele só para "vingá-la" (entre aspas porque acho que o cara nem sofreu tanto assim com isso). Se você o fez, devia querer também. Mas de novo, essa é apenas a minha opinião. Não vale nada considerando que não conheço nenhum dos envolvidos, é apenas a análise que fiz sobre o que você escreveu.

beijos!

iti 5 de mai de 2008 13:37:00  

otimo texto...viajei ao ler..
ta de parabens..
se estiver interessado em parceria...

http://lhmartins.blogspot.com/

Thiago Borges 5 de mai de 2008 13:59:00  

Odeio gente assim meu...
Sério

Dá corda, dá esperança, faz com que vc se sinta o amor da vida dela ou dele e depois te dá o toco como se nada tivesse acontecido ¬¬

suellen nara 5 de mai de 2008 14:09:00  

Passando pra agradecer a visitinha e comentários ao meu blog.

Adorei a história.
E isso foi muito bem lembrado:
"Desde que o mundo é mundo, sempre existiu o conceito de que homens devem ter todas as mulheres que conseguir: ele sempre será o bonzão, o gostosão, o poderoso. Mas vai a mulher ficar com um... Logo ela vira a vaca, a biscate, a puta e coisas piores".

A mulher tem q ser esperta mesmo.

Blog bacana ;)

Abraço.

danisiinha 5 de mai de 2008 16:18:00  

otimooo...
caras assim são tão out... tão fora de moda...
merecem uma licçao dessas...

www.daniilopes.blogspot.com

Mariana 5 de mai de 2008 16:31:00  

O fato é que eu estou rezando para nao cruzar com esse Roberto pela frente!! hahahaha

A Bia, coitada, essa eu sei como se sentiu...

e Lulu...mulé de coragem...

ps* desculpa a demora pra passar aqui e comentar!!

beijosss

Lemp 5 de mai de 2008 16:40:00  

Parece realmente um modo muito estranho de ajudar uma amiga, aliás, uma ex-amiga.

Bom, pelo menos terminou tudo bem...

Não pra amizade, mas pra conciencia.

Abração

Pa[†φ] BEiJo 5 de mai de 2008 18:44:00  

é... coisa doida né... eu tenho uma amiga que ja nos conhecemos a 18 anos, e temos uma parede que separa a amizade e as pegadas, ex namorados entre outras coisas, ja sei que mesmo se fosse troco iria acontecer o mesmo, então prefiro ficar com a amizade dela emprestando meu ombro, que por sinal ela usa bem pouco ¬¬
do que perder a amizade dela pra dar um troco que na verdade não vou ganhar nada, só vou sair perdendo com isso, e perdendo o que mais tem valor pra mim, a amizade dela... cada um tem seu modo de pensar, e não critico o que vc fez, foi por uma boa causa e foi muito bem feito!!!

t+

Lanterna Verde 5 de mai de 2008 19:30:00  

vlw pelo coment no http://asseteartes.blogspot.com/


se vc se refere ao álbum postado, tenho.

vlw

Cruela 5 de mai de 2008 21:35:00  

Apesar de longo para um blog, ótimo texto!

:-)

Marcelo Leite 5 de mai de 2008 21:51:00  

haha
adorei
sucesso ein?

Super Wallace 5 de mai de 2008 22:32:00  

Realmente gostei do blog e vim procurar em outro texto a qualidade do que me trouxera para cá. E o achei. A estória é interessante, mas acho que Bia em partes teve a razão.

Lulu, fez uma coisa para ajudar sua amiga Bia mas infelizmente foi mal interpretada. Infelizmente existem muitos Robertos hoje em dia no mundo. E acreditem, não é só em SP não...

Aqui no RJ é o que mais se encontra é cara com esse tipo de "jogo".

Fábio Buchecha 5 de mai de 2008 23:35:00  

(som de palmas, muitas palmas, para a Lulu)

Ela simplesmente deu aquilo que todo homem safado precisa: um bela de uma humilhação.

Palmas para você Lulu. Não lhe conheço mas já sou seu fã. De graça.

___________________________________
TemPraQuemQuer

Vendo Sonhos 7 de mai de 2008 11:01:00  

Ahhh se eu fosse essa tal d bia tinha fikdo mt puta! hahaha ele mereceu a lição, bem feito.. mas coitada.. ela jah tava sofrendo e ainda leveu uma apunhalada pelas costas da amiga =/ Enfim, pelo menos no fim ela c deu bem \o/ hahaha adoreeei o texto ;)


bjaaum

Anônimo 10 de mai de 2008 22:46:00  

Lulu, querida.
Nunca, eu disse, nunca deixe sua amiga saber que você deu pro bofe dela, mesmo que seja ex-bofe.
Se todas as panelas da cidade falarem você faça como os homens: negue até a morte!
Amizade entre mulheres é coisa séria, forte, eterna. Não existe macho dividido entre amigas.
As amigas são capazes de tudo pra acolher, mas também o são quando traídas. Saia de baixo!

Beijos da Fada
http://fadasafada.blogspot.com/

PS: O que a Bia jamais perdoará é que tu te divertiu a valer e até o dia seguinte com o canalha, safada!

  © Blogger template Skyblue by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP