Banner: Marco Antonio ///// Produção de Layout: Mariana Nunes

LINDOS, RICOS, BEM SUCEDIDOS E... FELIZES?

>> terça-feira, 20 de maio de 2008

Outro dia fui a uma festa beneficente chamada Dancing Days. As músicas nos remeteriam aos saudosos anos 70 e 80 e a sociedade bauruense se mobilizou para este dia.


Noite fria do lado de fora, e um insuportável calor do lado de dentro. Casa lotada, pista idem, colunáveis e gente “bem quista da nata” (os donos da concessionária GM, o pessoal da fábrica de cadernos mais conhecida do Brasil, vereadores, etc.) fervendo com Donna Summer, Glorya Gaynor e um som de péssima qualidade.
Bem, eu estou a poucos meses de fazer 40 anos. Então, este som me remeteu à minha tenra infância. E fez isso com várias senhoras e senhores... Entre eles dois, ou melhor, duas me chamaram a atenção: duas moças (hoje, senhoras) que estudaram comigo no colégio. Lá por volta de 1985.Portanto, devem ter a mesma idade que eu.
Estavam casadas, mas eu percebi que as duas – em pontos e momentos diferentes da pista – dançavam burocraticamente com seus respectivos maridos. Dois pra lá, dois pra cá, sem olharem nos olhos, sem sorrisos. Estariam curtindo a música? Talvez.
Aí apareceram outros casais conhecidos. Imediatamente os dois se tocaram, abraçaram, dançaram juntos e olhando nos olhos. E excessivas manifestações de carinhos. Tanto dele para com ela, quanto o contrário. Tudo porque havia gente conhecida perto.
Se fosse apenas uma delas, eu poderia imaginar mil coisas, mas duas? Em pontos diferentes da pista? Em músicas diferentes? Agindo da mesma maneira? Seria isso regra? Manter aparências de um casamento feliz?
Aí a mente minha viaja, né? Sou solteiro, tenho poucos, mas excelentes amigos, divirto-me do jeito que gosto, faço tudo o que quero... E na falta de companhia, vou sozinho mesmo. E se eu fosse casado?
Será que entre 4 paredes, o casal mostra o peso da chamada rotina? Depois de jurar amor eterno, o que acontece é um suportar o outro? E demonstrar carinho, afeto, amor, somente quando tem gente perto, para evitar comentários?
É sabido que no mundo de hoje, quando um casal forma uma família, a vida muda, hábitos mudam. Eu vejo nas baladas que vou, são poucas as pessoas acima de 30 anos casadas que freqüentam. Afinal, não dá pra levar um filho pequeno para uma pista de dança. Em compensação, as locadoras de DVD vivem entupidas, principalmente nos finais de semana.
Por que só mostrar a felicidade na frente de amigos? Por que mostrar harmonia quando o flash do fotógrafo vai levar para as páginas da coluna social aquele momento? Sim, porque eu percebi que aquelas pessoas estavam mais em busca de um flash de câmera de jornal do que curtir a festa. Queriam aparecer. O duro é que havia pelo menos 200 casais e o jornal não vai publicar mais que 3 fotos.
Talvez sejam felizes, à sua maneira. Mas, certamente, não é a felicidade que eu quero pra mim.
Enfim, como diz o ditado, cada um sabe onde seu sapato aperta no pé... O meu, graças a Deus, é bem folgado.

63 bedelhos!:

H α ſ α η 20 de mai de 2008 16:41:00  

Adorei seu texto
seu blog
e tudo mais que vi nesta página
Fantástico

Sobre o assunto, creio que existem pessoas assim mesmo.
Manter as aparências geralmente para algumas pessoas é super importante, mas quando os outros vão embora tudo volta ao normal

Não sei muito da parte do casamento, pois não sou casado

mas algumas vezes a situação é essa mesmo

ótimo blog

:D










http://descriticas.blogspot.com/

Mística 20 de mai de 2008 17:00:00  

Olá td bem ?
kurti seu blog =)
Sobre o post, ainda existe mta ipocresia na sociedade neh ?
passa nu meu :
www.s2girl.blogspot.com
Bjs !

Zeca 20 de mai de 2008 17:13:00  

Sempre tem isso mesmo. Até em família é possível achar casais assim.

Também não quero essa vida pra mim. O meu também é bem folgado, 44 num pé 38, digamos assim.rs

nanaxinha_dk 20 de mai de 2008 17:16:00  

Haha adorei o blooooog, nao curto mto esse tipo de festa mas é valido

Ramon Steffen 20 de mai de 2008 20:24:00  

Adorei seu texto, concordo com cada palavra. Eu pretendo ficar sozinho,não quero casamento, é melhor do que viver tentando demonstrar uma (in)felicidade.

Patrycia 20 de mai de 2008 21:19:00  

Bom, sou mais uma que saiu de um casamento de 9 anos desgastado. porem ainda acredito sim na felicidade a dois. Ainda acredito que hajafelicidade em uma relação estavel, sob o mesmo teto. Facil nao é, para acontecer é necessario uma renuncia mutua. é aí que está o x da questão.

Adorei as fotos...

patrycia
acendedordelampadas.blogspot.com

Flavitcho 20 de mai de 2008 21:25:00  

não dá pra segurar uma máscara de casal feliz pela vida toda.

Realmente eu não pretendo me casar..
Pelo menos, hoje, não faço questão.

Vamos ver mais tarde...
=X

=]

Lucas Conrado 20 de mai de 2008 21:33:00  

pois é... na frente das câmeras que muitos acabam mostrando o que realmente são, mesmo que queiram mostrar exatamente o contrário.

niagarafools 20 de mai de 2008 21:33:00  

Acho que não é bem a exposição do patrocinador a questão. Já fui a festival que tinha logomarca até na porta do banheiro químico e isso é o menos me incomoda.
O que incomoda a muita gente (e a mim também) é o mau uso que algumas pessoas fazem do uso de dinheiro público e /ou privado vindo desses patrocinadores. É algo como "se é pra fazer, vamos
fazer direito". Esse papo de dar alimentação e transporte local pra banda so porque ela é indie e não é amiga de ninguém é foda. Trazer banda também dos quintos dos infernos pra tocar ao invés de trazer uma do estado vizinho também.

Quanto ao seu blog... gostei das fotos do último post (admito, até agora, só li esse até agora. rs) e mais ainda do assunto. Tem gente que não quer admitir pra si mesma que algo vai mal ou que, simplesmente acabou. Tenho uma filha de 9 meses que vai comigo pra barzinho, pra festa de amigo. Fica mais acordada que eu. E dá pra sair a noite pra dançar, beber ou dormir fora com o namorido. É so ligar pra uma das avós que ela tem babá por até uma semana... rs

bjks!

Flá Absolut 20 de mai de 2008 21:50:00  

festa anos 80 é TUDO!!!!

vou ficar mais velha, pretendo casar mas não vou deixar de sair NUNCAAAAAAAAA

suas fotos estão demais e amei sua camiseta viu

Feliciano Silva 20 de mai de 2008 21:55:00  

Poxa,achei este texto fantastico,sério mesmo,sabe eu as vezes não quero me casar porque eu acho chato aquela vida de casados que é o cara só anda com a mulher dele, e fora que deve mudar muito,a rotina não é mais a mesma e fora que tem que carregar os parentes juntos,isso é foda


Nota 10 para este topico

excelente!

Rafael Carvalhêdo 20 de mai de 2008 22:03:00  

Cara! Por isso receio casar. Terei que estar profundamente apaixonado e só pensar em viver com a outra pessoa.
Essa coisa de casar e depois "fingir felicidade" com a pessoa é meio frutrante, completamente mesmo!

Não sei se vou querer viver eternamente solteiro, até porque tenho quase certeza que estar casado e ter alguém que gostamos e confiamos deve ser incrível. Um alguém pra toda hora.

De certa forma, casamento nunca vai ser perfeito, nenhum. E como ninguém quer mostrar fraqueza perante a sociedade, resta então fingir. Casar não deve ser tão mal, mas dá medo!

Não sei. Apenas sei que as duas coisas podem ser boas.

O que importa é que agora sou solteiro e posso curtir a vida adoidado! HeHeHeHeHe

òtimo post, Euzer! Gostei muito do assunto, e muito bem explicado. Gosto quando traz suas experiências pra a gente.

Abraço

Rafael Tupiná 20 de mai de 2008 22:39:00  

eee viver tanto tempo com uma pessoa e complexo pra caramba
mas sei la eu acredito q cada laranja tem sua metade sabe

da um look no meu blog
http://culturatups.blogspot.com/


abrçaos

Fábio Buchecha 20 de mai de 2008 22:44:00  

O que devo dizer é que cada casamento é um casamento. É possível sim ver casais de mais de 30 frequentando a balada. É raro, mas existem, e isso faz com que eu tenha uma nesguinha de esperança de meu casamento não vá cair na mesmice.

Salve a nova estrutra familiar!!!!

=P

(by the way, textos seus estão na mira para o meu proejto intercâmbio)

___________________________________
TemPraQuemQuer

Cruela 20 de mai de 2008 23:08:00  

qual é vc?

Fabio 20 de mai de 2008 23:24:00  

otimo texto!

Fabio Bustamante 20 de mai de 2008 23:34:00  

Quem viveu nos anos 80 deve ter aproveitado muito bem a melhor época de todos os tempos, na música e na sociedade. eu acho que a idade ou qualquer outra circunstância não pode tirar a felicidade de alguém. casar pode ou não valer a pena, mas é bom pensar na rotina que virá num futuro pouco distante, mas que virá um dia...o importante na vida é ser feliz e fazer o que gosta! ah, e agradeço pelo comentário lá no meu blog!

Daniel Araujo 20 de mai de 2008 23:45:00  

Hum... Existem casais e casais. Mas o mais normal e que, sim, o casamento falhe e sobreviva de aparências. Mas gosto de imaginar que exista uma pessoa que gostará de mim até quando eu quiser me bater...
;)
Mas, até lá, sigo como você. Solteiro. E muito bem, obrigado.

Jeff McFly 20 de mai de 2008 23:51:00  

40 anos? Vixe... dorme em formol, é?

kkkkkkkkkkkk

Grande Euzer, eu me pergunto muito quando me encontro na mesma situação. Estando eu perto dos 30, Muitos dos meius amigos hoje são casados. uns até separados. e eu me pego as vezes perguntando: Eles estão felizes?

bem... a resposta é meio óbvia quanto aos separados.

ric bonitos e felizes. Bom tema. Abraço!

sangue-sugas § 20 de mai de 2008 23:53:00  

passando pra conferir as novidades de deixar meu comentario.
http://sangue-sugas.blogspot.com/

participe tb da nossa comunidade no orkut
http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=31958902&refresh=1

Mayna 21 de mai de 2008 00:02:00  

Eu ainda acredito na felicidade a dois, mas digo isso não como uma pessoa casada, divorciada, mas sim, como alguém que já experimentou essa relação como namorada. Tudo é uma experiência e cabe a nós sabermos tirar proveito.

http://maynabuco.blogspot.com

Google 21 de mai de 2008 00:04:00  

Vidinha boa!!!!

Daniel 21 de mai de 2008 00:04:00  

meu, que onda de velho.. :P

ps: essa camisa de geek é irada :)

Fernanda Fernandes Fontes 21 de mai de 2008 00:11:00  

Tb não quero essa felicidd para mim! Quero amar e ser amada por sentir, não para aparecer...pensando bem, até que é bom ser solteira nestas horas. Melhor do que ter alguém do lado para fingir um momento feliz...

Guilherme Amado 21 de mai de 2008 00:37:00  

Realmente é o que acontece com a maioria dos casais. Nunca fui casado para saber, mas acho que o casamento é naturalmente entediante. Não culpo as pessoas que estão se sentindo assim.

Wander Veroni 21 de mai de 2008 03:16:00  

Oi, Euzer!

As aparencias enganam, aos que odeiam, e aos q amam. Como cantava nossa saudosa Elis Regina. Tem gente q vive de aparência e se sente feliz, fazer o q?

Adorei o sapato folgado. Tb tenho um assim...hehehehe...rs

Abraço,

=]
________________________
http://cafecomnoticias.blogspot.com

Jornalista Azarado 21 de mai de 2008 07:00:00  

POis é amigo.. é triste ver como essa palavra, "Carinho", perde a força com alguns casais... é lamentavel essas mudanças.. não importa quanto tempo você está com a pessoa, se há amor, há carinho e felicidade, não somente uma felicidade fotografica... Sim, esse carinho pode mudar, diminuir um pouco, mas ele existe e é sincero quando o amor é sincero... manter um relacionamento de aparências não é comigo... Não gosto de dançar, mas quão bom deve ser dançar bem junto da pessoa amada, olha-la fixamente, sentir o corpo junto bailando conforme a musica... são momentos gostosos e que deveriam ser curtidos ao maximo.. rosto colado... mas hoje em dia o negocio é "créééuu" e já era.. lamentavel...

(me desculpe, mas aos 20 anos, talvez eu tenha nascido na época errada..auhsauhshuasuhassu.. se eu não estivesse tão feliz com a minha namorada, alguem q tem um pensamento bem parecido com o meu, eu diria que com certeza eu estava na década errada..sauhauhsuhassuh)

Martins 21 de mai de 2008 09:42:00  

Vida de pay!!

HarDesign 21 de mai de 2008 09:57:00  

Parabens pelo Blog!!

Mto bom viww?!

Abraços!
Ateh..

danisiinha 21 de mai de 2008 10:08:00  

alguns dizem que é conversinha de encalhada!!!
mas , posso dizer que minha vida de solteira no rio de janeiro rsrs ( comparação imbecil com a música) é bem interessante!
e concordo com voce , nao é essa felicidade que quero pra mim, sei que tenho 26 anos e muita coisa pela frente , pois que não seja a hipocrisia....


www.daniilopes.blogspot.com

Rosangela 21 de mai de 2008 10:08:00  

Eu podeiria fica aqui divagando imaginando varias coiasas que pode levar uma casal a fazer esse tipo de coisa.
Tb penso como vc não quero essa felicidade pra mim, mas ax vezes faço coisas, penso de forma que na verdade não seria pra me agradar, mas para agradar o outro, para tudo .. opá .. primeiro eu ..
Eu acho complicado.. o ser humano é comolicado.
Adorei Viu!!

♥M@cellY♥ 21 de mai de 2008 16:49:00  

100% felizes... acredito que não..
mas pra muitos mostrar que está bem pros outros é primordial... fazer o que né?
rs
Bjinhusss

KaKa Fuinha 22 de mai de 2008 11:47:00  

adorei o texto...
eu tenho a mesma opinião, se nnum eh pra ser totalmente feliz, sera que vale a pena?
e adorei as fotos tambem
xD

http://blogdatolinha.blogspot.com/

Flá Absolut 22 de mai de 2008 11:49:00  

Quqrido... já comentei nesse post. Estou agora passando pra desejar um ótimo feriadooooo viu :)

iti 22 de mai de 2008 12:16:00  

bom,... seria uma vida bem "normal", nos dias de hj...ja que ngm se respeita mais..e tals..
foi uma bela postagens..como todas por aqui..

http://www.lhmartins.blogspot.com

Marco Antonio 22 de mai de 2008 13:10:00  

Ótima colocação, Euzer. Muitas pessoas sustentam casamentos infelizes por insegurança ou por status social. Eu não sei como agiria diante disso, sabe que nunca me casei... mas prefiro acreditar que trabalharia para o casamento não ser infeliz.

Nanda Kiedis Declama 22 de mai de 2008 15:45:00  

Gostei da ´crítica, masi infelismente o mundo é assim mesmo, na base da aparencia.

Bjs

Fábio Buchecha 22 de mai de 2008 21:42:00  

Que mal pergunte Euzer, você já foi casado?

___________________________________
TemPraQuemQuer

Bruna Assis 22 de mai de 2008 22:07:00  

Você denovo *-*
Ahhhh agarraria se houvesse alguém, mas não tem, bem que eu queria sentir o gosto de uma paixão =/

Tatiana Camilo 22 de mai de 2008 22:09:00  

Ótimo texto! Acho que as grandes inspirações vêem da realidade observada na nossa luneta mágica...
Acho que felicidade mesmo não tem medo de sair pra dançar ou pra qualquer outro lugar... ela saí de dentro de nós sem q a gente perceba. É tão natural e tão bom... Quanto aos sapatos... tem aqueles que apertam quanto nossos pés ficam muito tempo de pé. Por isso, ás vezes não me envergonho de tirá-los pra dançar "folgada" rs.
Convido a visitar meu blog (de novo rs): www.espelhomagic.blogspot.com

Bjos

Karla Hack 22 de mai de 2008 22:14:00  

Na minha cidade o que mais há é gente querendo mater as aparências!!
E como as aparências estão supervalorizadas og em dia.

;D

bjus

-pequena 22 de mai de 2008 22:32:00  

Realmente, casamento é uma coisa engraçada... vale cada um saber avaliar o q é bom ou não, ou o q precisa mudar em si... não sei, também não sou casada, mas confesso que os casamentos, na sua maioria hoje, não são exemplos para eu querer um!

Bjs

Bruna Assis 22 de mai de 2008 22:34:00  

Adorei seus pensamentos quanto a felicidade dos casais.. É muita hipocrisia tentar mostrar ao mundo a felicidade integral, é mentir, pois não existe essa tal felicidade 24h.. Quase 40 anos e solteiro O_O Para outros seria anormal, para mim não, pretendo estar como você quanto chegar nos 40 xDD Não ache estranho, é como você comentou, o sapato ;D

Parabéns..
Voltarei aqui sempre ^^

Conquistadores (Didixy) 22 de mai de 2008 22:55:00  

Realmente casamento é uma coisa muito séria. Muda sua vida completamente, como curto muito filmes, hoje mesmo eu assisti um filme chamado Antes só do que mal casado. Muito bom. Uma comédia romantica muito boa que mostra certinho como é esse negócio de casamento, tipo mostrar que está feliz na frente dos amigos, mas não verdade você não está. Se tiver oportunidade, assisti esse filme. Recomendo muito. Lançou esse ano e já está nas locadoras.

abraços

-pequena 22 de mai de 2008 23:23:00  

realmente, faz todo sentido... viu?! nem tudo a gente acha ruim (pq mulher tem o incrivel dom de só reclamar rsrsrs)

bjs

brigadinha pelo comentario

Denise 23 de mai de 2008 02:53:00  

Vou tomar cuidado pra isso nunca acontecer comigo!!!!!

Karoline 23 de mai de 2008 03:42:00  

Sempre imagino se seriam todos os casamentos assim, só pra manter aparências. Espero que não...
De qualquer forma, acredito que eu não acabarei assim. Jamais ficaria num relacionamento sem graça.

Gustavo Santiago 23 de mai de 2008 04:41:00  

meu velho tú é o 40-rentão mais esperto que tem.

Faz bem esse teu pensamento.
E se eu estivesse no teu lugar faria o mesmo,afinal liberdade.

Quando se tem filho, casa, mulher isso esgota.
tu sai pra onde quer, faz o que quer e é feliz assim.

Agora ser superficial é foda.

Wander Veroni 23 de mai de 2008 08:42:00  

Oi, meu amigo!

Gostei d+ de ver o selo q lhe dei aqui no blog. O lance dos lides é mto legal...vc me deu uma idéia! Vou fazer um pra mim tb.

Abcs,

=]

iti 23 de mai de 2008 10:34:00  

bom,... seria uma vida bem "normal", nos dias de hj...ja que ngm se respeita mais..e tals..
foi uma bela postagens..como todas por aqui..

http://www.lhmartins.blogspot.com

Dih da Pâhzinha... 23 de mai de 2008 10:48:00  

Cara estao mantendo as aparencias!
é triste mas isto é bem comum!

http://dihdusbeko.blogspot.com/

Bruna Assis 23 de mai de 2008 10:54:00  

Eu aqui denovo \o/

Ótimo blog ^^

HenriqueM 23 de mai de 2008 11:01:00  

Concordo que em certos casos as pessoas se preocupam apenas com a aparência das coisas, sem se importar com o verdadeiro rumo da felicidade de si próprio.
Como dizem, antes só que mal acompanhado. Talvez faça mesmo sentido isso...

Espero nunca abrir mão da minha felicidade, simplesmente por me prender a outra pessoa.

Abração.

Bruna Assis 23 de mai de 2008 12:02:00  

Sim, somos todos fortes, mesmo tendo nossas loucuras diárias ^^

Garbo 23 de mai de 2008 15:09:00  

A vida é foda, nossa maravillhosa cultura social nos implica em sempre querer ser melhor que os outros, q possuir muito é prova de sucesso, e entao depois de seguir todos os passos da sociedade, as pessoas ficam tao apegadas que a alegria efemera que sentiam em possuir coisas se esvai, sobra apenas a necessidade como um viciado com crise de abstinencia...

Garbo 23 de mai de 2008 15:21:00  

e parabens pelo seu publico

DuDu Magalhães 23 de mai de 2008 15:32:00  

Trabalho como personal dancer em festas do tipo, depois de 10 anos dançando dança de salão e trabalhando na area, tu se acostuma a presenciar fatos do tipo; no ultimo post meu coloquei uma frase que vem a calhar com seu post.. "Diga-se de passagem, escassamente sonhada; pois de fato, essa paz não existe. Todos figuram realidades distintas, tentando firmar assim um rotulo de “felicidade” que não condiz com suas atitudes fulgazes ante o rumo seleto.

Mas quem sou eu pra manifestar idéias acerca desse assunto – felicidade – cá guardo em meu peito uma efêmera felicidade que se revigora toda vez que contemplo as formosas estrelas no céu, nas madrugadas em que não consigo pegar no sono por conta dos inúmeros problemas que tenho defrontado."

Acho que é por ai, às vezes temos que figurar pra ser feliz!

vlw pelo cometário, abrass

http://www.visaocontraria.blogspot.com/

Mariana 23 de mai de 2008 15:35:00  

Sabe Euzer.. eu tenho horror de comportar por aparências, mas imediatamente eu repenso sobre minhas proprias atitudes, e caio no incrivel paradoxo de odiar aparencias e mtas vezes viver delas...

talvez meu sapato nao aperte aí neste mesmo dedo que o desses casais.. mas com certeza aperta....

beijocas

Wander Veroni 23 de mai de 2008 21:01:00  

Oi, Euzer!

Como já comentei aqui no blog, só passei pra te dar um oi, companheiro. Coincidências ou não, lá na comunidade fui premiado em passar aqui.

Gostou do selo? Pode passar pra frente se quiser, ok!

Abcs,

=]

Marcelo 23 de mai de 2008 21:52:00  

Euzer,

Somos da mesma geração e passei 36 anos para decidir casar e ter filhos. Na verdade, vivi bem isso, um monte de colegas casados em volta e eu ali, ainda em baladas. Mas as coisas foram caminhando, ainda estava enrolado com estudo etc. Acho que o casamento quando feito em tempo errado, cria os famosos casais que vão para um resaurante e jantam em silêncio. Aí a gente, porra, esse pessoal não se fala ou é só em público. para o homem, o tempo de solteirice é um bem necessário. Acho que deveria ser constitucionalmente um homem casar antes dos 30...

P.S.: Vc já está como mediador na comundidade lá.
Outra coisa, onde vc arrumou essa camisa da ATARI? Muito show.

Marcos Costa Melo 23 de mai de 2008 22:09:00  

Boa reflexão, Euzer, ela e um post da Patrycia me inspiraram a escrever algo mais ou menos na mesma linha.

abs

Elton D'Souza 23 de mai de 2008 23:03:00  

Sei lá, tenho 19 anos, solteiro. Mas creio que depois de um certo tempo o casamento vira rotina.

Paula Basques 25 de mai de 2008 17:26:00  

Mas eu me pergunto o seguinte: por que quando estamos casados temos que estar o tempo todo bem? Concordo com você que muitas vezes as pessoas se prendem a relacionamentos frustrantes por conveniência, mas, vejo que existe uma expectativa em relação aos casados de estarem 100% felizes.

abraços

  © Blogger template Skyblue by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP