Banner: Marco Antonio ///// Produção de Layout: Mariana Nunes

O FRIO QUE NOS AQUECE

>> quinta-feira, 19 de junho de 2008

Que bonito!!! O inverno chegou...


As temperaturas despencaram, as folhas já caíram das árvores, não dá pra dormir sem colocar dúzias de cobertores sobre o corpo, vemos mais filmes em casa, pensamos duas vezes antes de sair pra balada e não paramos de reclamar da preguiça ao acordar.
E também vemos dúzias de campanhas do agasalho por aí... Como em todos os anos...

Só que eu vou ser sincero... Não ponho fé nestas campanhas do agasalho. Não do ponto de vista de quem as organiza. Mas do final delas: quem realmente precisa de agasalho.

Eu sei que sou um grão de areia no deserto, uma gota de água no oceano e não posso basear minhas experiências como regra. Seria um egoísmo enorme e esse adjetivo nunca me qualificou, graças a Deus (quem me conhece sabe que posso ser tudo, menos egoísta).

Mas nas vezes que resolvi ser filantropo, presenciei cenas absurdas.

Sabe aquele papo de “adotar” uma família que algumas igrejas e ONGs sugerem? A minha adotou uma e todo mês levava alguma coisa pra eles. No inverno levamos cobertores, roupas, calçados, enfim... A família que adotamos era carente de tudo... Morava num barraco (próprio) sem esgoto, água e a energia chegava através de um "gato" puxado do poste.

Eis que no verão, encontramos um dos cobertores servindo de TAPETE. Isso mesmo, tapete na casa. Meu pai olhou e ficou indignado com aquilo. A mulher, que fumava compulsivamente (como ela conseguia dinheiro pra comprar cigarro?) simplesmente batia as cinzas no chão, SOBRE O COBERTOR. Chegou o inverno e a família falou que precisava de cobertores.

Desnecessário dizer que paramos de fazer este tipo de ajuda. Preferimos ajudar, por exemplo, as famílias de nossas empregadas (eu tenho uma, minha mãe tem outra), que podem não ser tão necessitadas, mas têm suas dificuldades.

Em Bauru a campanha do agasalho este ano arrecadou apenas 50 mil peças, cerca de metade do previsto. Há um outro ponto também: por um acaso eles acham que todo mundo compra roupas só para usar durante uma estação? Bem, eu tenho no meu armário casacos comprados há quase 20 anos, e ainda servem muito bem, esquentam que é uma beleza e não tenho a menor pretensão de desfazer-me deles. Não sigo os passos da São Paulo Fashion Week, Riachuelo, Pernambucanas e afins que, a cada ano, sugerem uma limpeza completa no guarda-roupas. Também não tenho dinheiro pra isso – e nem que tivesse, não o faria.

De repente, famílias necessitadas vivem à base do assistencialismo. E, sabendo que “vão ganhar”, não se preocupam em tentar arrumar um meio de mudar o rumo de suas vidas. Eu sei que é complicado... Eu tive estudo, tive coisas que essas famílias nem sonham que existem. E eles aprenderam a receber doações. Talvez ninguém tenha ensinado a eles como valorizar o que ganham.

Talvez estes promotores da filantropia achem que “doar” é o máximo que podem fazer pela “responsabilidade sócio-ambiental” que está tão na moda. Eu tenho a certeza que a doação é apenas a primeira coisa que podem fazer por alguém que necessita de amparo. Só que fazer o resto dá trabalho e nem sempre gera “notícia no jornal”.

54 bedelhos!:

Flavitcho 19 de jun de 2008 23:31:00  

Se acomodam mesmo.
Não fazem força, mas talvez vocês tenha pego a familia "errada" (modo de dizer).

Tem muita gente que precisa sim e que não iria, com certeza, ter esse tipo de atitude.

O que importa, no final de tudo, é que a gente faça nossa parte. Nossa consciência fica tranquila. Acho q isso é válido. :)

Dan Souza 19 de jun de 2008 23:34:00  

Eu sempre disse isso!
Eu acho sim que doação seja importante, mas tb acho q a gente n pode dxar isso s tornar muito constante, pq senão as pessoas se acomodam e (como você msm disse) sabendo que vão "ganhar" as coisas, não procuram um jeito de mudar de vida. Começam a achar que esperar as doações é mais fácil...

Adorei o post(aliás, como sempre!)! =D

Bjo

Leonardo luiz lino 19 de jun de 2008 23:36:00  
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Dih da Pâhzinha... 20 de jun de 2008 00:13:00  

Cara as pessoas quando ganham fazem pouco caso, meu pai sempre disse quando tu comprar com teu dinheiro tu vai ver como é...
Meu carro, meus estudos fui eu que paguei e aprendi a dar valor...
Tudo bem que eles tem pouca renda, mas pra fumar, beber cachaça e essas coisas ele tem dinheiro!!!
Eu ajudo quem precisa, mas não quem é "malandro"

http://www.avidanobeco.com/

*.*Allegr!a*.* 20 de jun de 2008 00:23:00  

Euzer, em primeiro lugar vim agradecer as suas gentis palavras, ao comentar o meu blog!

Depois de concordar com voce em quase tudo, inclusive na missão de deletar comentários do tipo: Bacana seu Blog (arghh), preciso fazer mais umas considerações!hehehe

A doação é válida sempre.
Para quem doa ou para quem recebe.
O bem que isso causa, é um outro fator!
Sou a favor da doação irrestrita, sem necessariamente serem doações táteis.
Pra não me estender muito e encher o saco...

Doar um sorriso, ou um bom dia no elevador, não custa nada correto?
E as pessoas não respondem, como pode isso?
Não devemos nos inspirar no mau exemplo alheio, e por isso a doação é ainda mais benéfica para quem doa!
Se for em verdade... Sem interesses!

Utopia né?
Eu me dôo de doar, e me dôo em doer...

Lidianne Andrade 20 de jun de 2008 00:47:00  

ai que triste suas fotos...senti-me culpada por estar aqui, enrolada no meu endredom
mas amei o blog
valew pela visita
belo texto

Stanley Marques 20 de jun de 2008 00:50:00  

Cara, concordo contigo. Não precisamos doar ao Criança Esperança, Teleton e outros programas filantrópicos de tamanha repercussão, uma vez que temos ao nosso redor pessoas que necessitam ser ajudadas. Realmente, o que aconteceu contigo é inadmissível. Algumas vezes penso que a simples doação gera, por sua vez, acomodação, paralisia, falta de atitude a final para que se esforçar se tem quem ajuda, como você mesmo disse. Muito boa abordagem. Interessante.

http://www.antologiaracional.com/
passa lá.
abração.

ericrifferama 20 de jun de 2008 02:54:00  

Muito bom ... faz agente pensar em ser mais humano !!
parabens Euzer , abraços

Jornalista Azarado 20 de jun de 2008 06:55:00  

É verdade Euzer, muitas pessoas se acomodam com as doações e não se empenham em sair da miséria...

Concordo que não podemos generalizar.. Há casos e casos...

Mas é fato que o brasileiro adora esmolas... É histórico (pão e circo, bolsa-isso, bolsa-aquilo..). Pra que aprender a pescar se alguém vai doar nem que seja uma "manjubinha"?

Acredito que devemos ajudar as pessoas, dar aquelas roupas que não usamos, aquele "excesso"... Mas eu defendo uma "troca de favores". Acho que as familias que recebem doações deveriam ser cadastradas e deveriam estar sempre fazendo algo de util pela sociedade, ao invés de ser sustentada por ela. POr que não criar programas comunitários? Coloca essas pessoas para trabalhar em parques, cuidando da segurança, da manutenção, da limpeza... Isso, claro, enquanto as crianças estão NA ESCOLA. Utópico? Bastante.. mas fazer o que... "Antes ter um sonho para imaginar do que não ter nada para sonhar..."..rsrsrs...

Abços!

MAURICIO 20 de jun de 2008 09:24:00  

NAO QUE EU SEJA SEM CORAÇÃO MAS EU TBM VEJO ISSO POR AKI
É MUITA FALTA DE VERGONHA
OS QUE MAIS NECESSITAM SÃO AQUELES QUE TRABALHAM E LUTAM PARA TER ALGO. AQUELES QUE SAEM DE CASA E ENFRENTAM A VIDA SEM DESCANSAR SABENDO QUE ALGUEM VAI TER COMPAIXÃO DELES. MUITOS FICAM EM CASA POIS SABEM QUE LOGO VIRÃO ONGS E PROJETOS PARA OS AJUDAR EMAIS E MAIS.
OLHA EU NAUM SOU RICO MAS JAH FUI MUITO POBRE E O QUE HJ EU SOU EH HERANÇA DE MUITO TRABALHO DE QUEM NÃO SE ACOMODOU NA MISAERIA. EU SOFRI MUITO E HJ VEJO QUE ISSO FOI ESSENCIAL PRA O MEU CARATER
ABRAÇOS ESPERO VC LAH NO MEU BLOG

rosangela 20 de jun de 2008 09:53:00  

Acredito que sempre é valido doação!
Tem pessoas que realmente precisa e fica muito feliz em ganhar um moleton usado!`
Pra que deixar dentro do quarda-roupa uma coisa que não se usa, ou mesmo jogar fora??!!

Latinha 21 de jun de 2008 14:03:00  

Olha.. é uma coisa complicada...

Durante muito tempo eu fazia trabalho voluntário e presenciava umas coisas complicadas. É sempre um dilema...

Por algumas razões estou meio afastado neste momento do voluntariado, mas também ajudamos uma familia...

Gostei do post... uma reflexão importante...

Abração!

Wander Veroni 21 de jun de 2008 19:07:00  

Oi, Euzer!

Qto tempo!?! Voltei aqui para Meter o Bedelho e te convidar para dar uma passadinha lá no Café, viu! Coloquei um banner do seu blog lá.

Aqui, vc tá certíssimo qdo fala que as pessoas se acostumam a receber doações. Existe um estudo de um sociologo aqui em Minas Gerais que diz exatamente isso, as pessoas não saem da linha da pobreza pq se sentem estimuladas a permanecer lá devido as doações.

Mas, num outro ponto, temos que ensina-las a pescar e, no máximo, dar a vara. Ensinar a "correr atrás" dos seus objetivos é fundamental para ser humano ter dignidade e seguir em frente.

Ajudar as pessoas que estão à sua volta tb é uma boa. Seja com pouco ou com muito, aprendi com meus pais que devemos ajudar as pessoas que querem ser ajudadas e não aquelas que só pensam no momento, na instântaniedade.

Vc tá me saindo um excelente articulista, parabéns!

Abcs,

=]
____________________________
http://cafecomnoticias.blogspot.com

Fernando Gomes 21 de jun de 2008 20:41:00  

Estou em adiantadas negociações para encontrar Cláudia... hehehe

Nas férias vou para minha cidade natal e já combinei com uma amiga para irmos lá e pedir a lista de alunos da nossa época.
Ainda bem que eles fornecem.

Não deixe de visitar:
And I Said Goddamn!

Marco Antonio 21 de jun de 2008 23:34:00  

é, amigo
Dar o peixe sem ensinar a pescar...
Nosso presidente faz isso... queria ter um exemplo melhor.

Eu ajudo a quem precisa e acima de tudo MERECE.

Marcelo 22 de jun de 2008 08:35:00  
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcelo 22 de jun de 2008 08:38:00  

Acho que se há algo a ser dado a essas pessoas é uma coisas chamada DIGNIDADE e isso inclui, além dos agasalhos, alimentos etc, a capacidade de gerar a própria subsistência e devolver o orgulho de assumir as rédeas de suas vidas. Acho que toda ajuda é válida, mas tem que vir dentro de um conjunto de medidas. De outra forma, agrava o problema pois cria uma dependência maléfica.
Eu me pergunto até que ponto não é conveniente para quem dá a satisfação de criar essa depedência. Até que ponto isso não alimenta a nossa onipotência... e até que ponto isso não atende muito mais ao nosso interesse, a nossa vaidade?

Sou um misantropo por natureza e sempre suspeito do que existe por trás das boas intenções humanas.
Prefiro às más intenções... são mais transparentes e legítimas.

Rhenan 22 de jun de 2008 13:50:00  

Adorei esse post. Direto e sem hipocrisia. Parabéns.

Um grande abraço.
Depois visita meu blog.

Rhenan
www.sexpride.blogspot.com

Rafael Duarte 22 de jun de 2008 21:15:00  
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Danilo Moreira 22 de jun de 2008 21:50:00  

Pow Euzer... vir no seu blog é sempre um prazer. Os assuntos q vc escolhe são excelentes!!

Por isso que sempre discordei dessas bolsas que o Governo dá aos de baixa renda. Queria ver se oferecesse trabalho assalariado pra ver quantos aceitariam mesmo. Pode ter certeza que alguns passariam longe.

Há pessoas que nao tem orgulho proprio, por isso, preferem chorar o resto da vida que são pobres pra receber o dinheiro das bebidas e dos cigarros do mes a arregaçarem as mangas e ir á luta ou investir com o dinheiro que tem.

A miseria tb passa por aí: a falta de orgulho.

Abçs!!!

Voce é a favor dessa proibição?

Então, opine:

----------------------------------
Os Jogos Violentos

http://emlinhas.blogspot.com/

EM LINHAS... 1 ANO
Quando as palavras se tornam o nosso mais precioso divã.
----------------------------------

Bruna *Lovegood* 22 de jun de 2008 23:41:00  

Verdade, legal seu ponto de vista sobre o assunto doações de agasalho. Não tenho mto a comentar sobre isso, nem gosto. Não fecho os olhos e finjo q não existe, só não comento porq é algo incerto. Umas famílias aproveitam e valorizam, e outras não.

A primeira foto do post me lembrou o Chaves e a Chiquinha nakele terno grande do seu Barriga! haushaushuashaushau
Ai eu olhei a segunda foto, do cara com frio na rua, um cobertor. O frio em moradores de rua é algo horrível. E a solidariedade das pessoas é tão fria quanto o frio q atinge essas pessoas.

Kamila F. 23 de jun de 2008 21:48:00  

Texto excepcional. . .

Parabénssss ^^

Realmente alguns tipos de doações nem sempre é o melhor a se fazer, em alguns casos a pessoas ao seu lado que necessita mais de ajuda.

Fernanda Fernandes Fontes 23 de jun de 2008 21:59:00  

Falou tudo Euzer! Concordo com vc! É uma sacanagem msm ver inúmeras famílias que se dizerm necessitadas e não utilizam de maneira correta as doações que recebem....e casos como o de cigarros e bebidas são os mais comuns. Dinheiro para se alimentar, não têm, mas pra fumar e tals...aff...É claro que não são todas as famílias, mas é que é tão complicada a situação que nos desmotiva msm. Melhor seria, pegando aquele velho clichê do peixe, dar condições às famílias para que elas se sustentem...

Bjs!

Rodrigo 23 de jun de 2008 22:19:00  

Muito triste =/

Lidianne Andrade 23 de jun de 2008 22:30:00  

nao perca e esperança
continue ajudando!

Aninha 23 de jun de 2008 22:33:00  

Concordo.
Mas assim como tem os acomodados, há também os que realmente necessitam.
Já aconteceu algo parecido comigo:
Depois de passar a noite no hosp. pq minha tia sofreu um acidente, fui direto pro shopping fazer o trab dela (vistoria de propaganda em cinema) como estava com pressa, passei no habibbs e comprei esfirras, q não deu tempo de comer, mas estava com fome, saí do shop e um pedinte pediu dinheiro pra comida, então ofereci minhas esfirras q anda não tinha dado tempo de comer. ele pegou, olhou o saco e jogou no chão dizendo: eu não gosto disso. Eu fiquei com uma p*** raiva. Até pq eu provavelmente estava mais faminta q ele.
Desde então eu só ajudo a campanha do quilo que passa na porta de casa...

Victor Vinicius 23 de jun de 2008 23:05:00  
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Tania Montandon 23 de jun de 2008 23:23:00  

pois eh, engraçado como está tao claro a mudança climatica no planeta todo, milhares de mortes, tragedias e ninguem parece se importar e ligar q isso tem tudo a ver com o meio ambiente sendo exterminado pelo homem como mais friamente q nunca por ambiçao cega, burra e crua

bjo

Diego! 23 de jun de 2008 23:30:00  

Questões como essa me faz questionar muita coisa.
Mas. Será que podemos entender a cabeça de uma pessoa, que mora em um barraco de um cômodo, com mais sete pessoas. Eu já vi isso, e me perguntava se a perspectiva na vida era como a minha. Na época era adolescente e fazia trabalhos nas pastorais da igreja.
Quando não se tem nada, e já se passou fome, parece que as coisas só apresentam valor no momento da necessidade. Como o coberto.
Complicado mesmo!

nina 23 de jun de 2008 23:36:00  

Melhor prevenir do que remediar, o buraco é mais embaixo, né...

Fernandinha Duarte 23 de jun de 2008 23:53:00  

adorei o blog, só acho que não é sempre que você vai encontrar o seu coberto de tapete.É uma variação,talvez a família que você tenha pego teve esse tipo de atitude.As pessoas dessa classe social, não tem informação suficiente para entender isso, no pensamento dela as vezes aquela atitude está certa.
Acho que não se pode confundir acomodar-se a receber as coisas com a falta de correr atrás. Quem vai querer empregar alguém sem uma base e sem um estudo? Ninguém quer, as pessoas ficam sem saída tendo que recorrer a doações.
Você escreve bem.

beijos, boas vibrações.♥

Jeff McFly 23 de jun de 2008 23:55:00  

Grande Euzer!

Tava meio sumidão, mas aqui estou novamente a Meter o Bedelho!

Infelizmente, acredito que sou um dos poucos que já aceitara o triste fim que nos aguarda.

Estou aqui com a boca escancarada cheia de dentes, esperando a morte chegar.

HAsta e vamo qeue vamo!

StÉfAnO CoStA ~~|sC| 24 de jun de 2008 21:27:00  
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Júnior 24 de jun de 2008 21:35:00  

Me desculpe, mas ñ exiga das pessoas aquilo que elas ñ podem te dar, portanto não queira que pessoas a quem tudo que é direito seu, estou falando de dignidade, foi tirado que elas respeitem e sejam as pessoas mais conscientes do mundo. ELAS Ñ TÊM CONDIÇÃO PARA TANTO. Concordo no que fala de assistencialismo, mas deixa eu te dizer uma coisa, está sendo assistencialista com as suas empregadas. Portanto se realmente quer mudar a situação encare-a de frente, ao invés de ir visitar uma família experimente viver com ela e ama-la de verdade ao invés de fazer algo para parecer bonito frente aos outros ou para que sua consciencia ñ doa ao perceber que tem gente morrendo de frio e vc está envolto em seu edredon. Vida é direito de todos e enquanto isso ñ for efetivo o mundo vai continuar a bosta que está. Essas pessoas ñ precisam só de cobertores ñ, elas precisam se sentir gente, e vc pode ajuda-las neste processo, ou ñ.

Felithy 24 de jun de 2008 21:44:00  

Voce falou sobre as canpanhas nesta epoca, são validas embora muitos fazem para ganhar nome nas costas de gente humilde que sofre constantemente, mas pelo menos estas campanhas servem de aviso as pessoas que se mantem "quentinhas' em casa e pouco se importa com o que está nas ruas.

Thaíssa Vasconcelos 24 de jun de 2008 23:13:00  

Trata-se de Brasil...

Flá Absolut 24 de jun de 2008 23:15:00  

meu grande amigo... olha eu aqui comentando :)

Pois é o frio, e junto muitas coisas ruins como essas pobres pessoas..... mas sabe eu amo o frio.....

acho que campanhas teriam que ter em todas as épocas do ano ^^

Anônimo 24 de jun de 2008 23:23:00  

É apenas a realidade brasileira.

Ana Lucia 24 de jun de 2008 23:56:00  

Euzer eu também sou descrente quanto ao destino final dsse tipo de doação, mas como me sinto abençoada por ter saúde trabalho e família, sinto prazer em estar "fazendo algo por alguém".
houve época que doei quantidade usada para creche, roupas,comida etc.
hoje me sinto feliz em divulgar o belo trabalho (que conheço de perto) da provincia franciscana e gratificada quando alguém contribui como pode através dessa divulgação que faço no orukut, site, msn etc.
no fim do ano chego a ficar horas no computador nessa tarefa

Pierre 25 de jun de 2008 00:30:00  

Realmente, essas pessoas que recebem doações se acomodam msm...
Não se mobilizam para procurar um emprego honesto para levantar uma grana, e por incrivel que pareça,a maioria dos "necessitados" costumam ter vícios, quase sempre cigarro ou cerveja (NAUM TENHO NADA CONTRA QUEM FUMA, OU QUEM BEBE...).
É "engraçado" que $ para seus vícios eles teem, mas pra comprar alimentos e vestimentas naum tem...

Estou aqui tb para parabenizar-lhe por esse blog, pois trata de assuntos bem complexos e bom para discutir (Pacificamente) !!!

Se possível, de uma passada no meu tb...
http://ogrobo71.blogspot.com/

Abç'S !

Mans 25 de jun de 2008 10:47:00  

eu amo frio
e ajudo sempre que posso
mas concordo que com o frio vem vários problemas

bj

Mans 25 de jun de 2008 10:47:00  

eu amo frio
e ajudo sempre que posso
mas concordo que com o frio vem vários problemas

bj

Gabriela 25 de jun de 2008 11:38:00  

Realmente a gente vê muita coisa errada por aí. Se você quiser posso te dar vários exemplos que presenciei aqui onde moro (Santos), a própria Prefeitura da cidade que dá assistência à essas pessoas comete erros dos mais gra-ves, alimentam a vadiagem, o abuso da boa vontade das pessoas que querem ajudar, enfim, é uma sacanagem. Adorei o texto. Abraços.

AVESSOS 25 de jun de 2008 12:54:00  

esse é o brasil é o mundo, adorei sua critica voce escreve muito bem, estava devorando seu blog outros posts. abracos

Nina 512 28 de jun de 2008 02:20:00  

triste? nao
eu diria: forte e veridico

simples assim. bjo ^~

Rafael Carvalhêdo 28 de jun de 2008 16:11:00  

Concordo plenamente, Euzer! Eu sempre fui a favor de dar educação e responsabilidade ao indivíduo que não tem nada.

Sinceramente, não gosto de dar esmolas a ninguém. Acho que a melhor coisa que se pode dar a um individuo é instrução e educação. Pena que as ONGs e os promotores de filantropia pensam diferente.

Acho que vou fazer a minha própria ONG, e não estou falando em ficar rico... rsrs... falo de ajudar as pessoas mesmo.

Rafael Carvalhêdo 28 de jun de 2008 16:12:00  

post novo no .Ponto-de-Vista.

@sp 29 de jun de 2008 11:52:00  

o frio é muito bom por um lado!
ajente tem como se esquentar!
mas as otras pessoas (pobres)
que moram na rua!
sem cobertor,sem nada!para se cobrir!
e se protejer do frio
!

e muito serio ! essa doação de leçois,cobertores é muito importanteee!!!
=D
seja solidario!!1


>>RÁDIO BAGACEIRA<<
http://radiobagaceira.blogspot.com/

Felithy 30 de jun de 2008 22:40:00  

Eu assisti uma propaganda de uma campanha de agasalhos bem interessante hoje de umas mulheres seminuas passando frio e no final da propaganda dizia da importancia da imagem para conseguir sensibilizar as pessoas. muito interessante, procure ver, Euzer.

Juliana Gulka 1 de jul de 2008 18:15:00  

Novamente eu tenho que concordar com tudo que você escreveu! Por aqui é a mesma coisa, chega março e já estão fazendo as tais campanhas. Eu prefiro doar as roupas que não servem mais, para o clube soroptimista, que realizam bazares regularmente a fim de ajudar mulheres vítimas de viloência doméstica. Dá pra ver como esta a organização, quem está sendo ajudado. Também não dou dinheiro, mas jamais nego se alguém pede comida. Não vou dar uma cesta básica, ajudo como posso.

Fico pensando, neste caso, nos auxilios do governo federal. Auxilio vagabundice 1, auxilio vagabudice 2...

E por aí vai..

bruno monin 2 de jul de 2008 21:22:00  

Um pouco antes do texto postar, você tocou numa opinião minha, de que as pessoas necessitadas só aprenderam a ganhar, mas seria melhor que elas merecessem as doações.

Exemplo: mo governo dá todo mês cestas báscias pra famílias carentes, elas por sua vez, não vão fazer nada pra tentar melhorar suas vidas, pois se acham dependentes do governo. O governo deveria doar um pedaço de terra pra que essas famílias produzissem seu próprio alimento.

Mas é só uma opinião.

Bruno Monin > BloGZinho.com

luizscalercio 2 de jul de 2008 22:23:00  

cara vc tem um belo blog seu texto muito criativo ler mesmo seu texto chama muita atesao .
nt 10

NASCEU!!!! 4 de jul de 2008 09:35:00  

concordo que muitos se acomodam... presencio isso direto morando no centro de são paulo...na verdade tenho mais pena de idosos, que não têm mais condição de arrumar algum emprego... Brasil é foda!!

Jhony 13 de jul de 2008 21:12:00  

Eu me Sinto tão mal quando to andando pela rua e vejo essas pessoas sofrendo com frio.
É uma realidade muito foda.

http://jhonyfreitas.wordpress.com

  © Blogger template Skyblue by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP