Banner: Marco Antonio ///// Produção de Layout: Mariana Nunes

SÃO PAULO - CORES E NOMES - episódio 04 (By Sérgio Enzo)

>> quinta-feira, 23 de julho de 2009

NAS LÁGRIMAS DE UM ANJO
Uma história infelizmente real


Foi muito bom visitar Euzer em São Paulo no fim de semana. Eu achava que ia encontrá-lo pra baixo por conta de mais um fim de relacionamento, mas felizmente ele estava bem tranquilo. Abstraiu bem uma pessoa emocionalmente desequilibrada.
No sábado, fomos para uma balada. Quando ia passar, o semáforo fechou. Euzer disse que esperaríamos quase 4 minutos para atravessar. E foi o tempo que durou tudo.
Euzer viu Gabriel sentado junto ao muro chorando. Parecia conhecer aquele garoto de 10 anos de idade. Encostou o carro e foi ver o que acontecia. O motorista do carro de trás, um senhor de uns 50 anos, fez o mesmo.
Entre lágrimas, soluços e vergonha, Gabriel contou que três homens o empurraram, jogaram sua caixa no chão e pegaram cada um duas balas. Gabriel juntara as balas na caixa. Havia oito. Euzer pegou de sua carteira uma nota de R$ 5,00. Eu, consternado com a cena, fiz o mesmo. O senhor do carro de trás foi mais generoso. R$ 10,00.
O que me consternara foi que o garoto mostrou o bar onde os três homens estavam: era um bar chique e caro do bairro do Itaim Bibi. Portanto, não eram garotos de rua que fizeram esta maldade com Gabriel. Foram jovens teoricamente “bem nascidos” de São Paulo.
Euzer falou para um Gabriel agradecido que fosse pra casa, pois estava muito frio àquela hora da noite (menos de 10 graus) e Gabriel usava uma surrada e rasgada blusa de frio, bermudas bem velha e chinelos de dedo totalmente sujos e gastos.
No carro, Euzer falou uma coisa que me tocou profundamente: “Eu não posso, Sérgio, resolver o problema de carência afetiva, social e moral deste garoto. Mas, ainda que por um momento, eu tentei resolver uma injustiça. Se agi certo ou errado, perante os homens, não sei. Mas que minha alma está serena, isso é a grande certeza. Portanto, para Deus, fiz a coisa certa”.
Eu não ajudo mendigos e carentes nas ruas. E não recomendo esta prática. Mas ali havia uma questão de justiça, moral e educação. Ninguém, por ter mais dinheiro, mais estudo, mais tranquilidade social, tem o direito de subjugar os menos favorecidos só por lazer. A linha que separa a diversão de um crime pode ser tênue.
Aquele menino talvez não aprendeu como fazer realidade os milhões de sonhos que povoam sua cabecinha.
E não sei onde está o caráter de um homem, mas sei que não será nas cédulas de sua carteira, no ano de fabricação e modelo do seu carro, ou na quantidade de cômodos de sua casa que ele será encontrado. Aquele "Anjo" Gabriel tem muito mais caráter que os três que o agrediram de forma covarde e desumana.
Onde e como está Gabriel agora? Será que vendendo balas naquele semáforo?

52 bedelhos!:

Rha Belloti 23 de jul de 2009 18:49:00  

É um absurdo como além de ter que aturar a injustiça social "natural" do nosso país ainda tenhamos que aturar a humilhação de quem acha que pode mais.

Lindo seu post!

Adm. Marcelo Leite 23 de jul de 2009 18:54:00  

Falta de cidadania é uma pena =/
Blog muito bem bolado, ótimo layout.

Tiago Dadazio 23 de jul de 2009 19:06:00  
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Inez 23 de jul de 2009 19:18:00  

Parabéns pelo post.
Injustiça social é o que nã falta.
Homens feitos que tem melhores condições empurrar, ou maltratar um garoto que vende bala no farol é bandido igual a quaquer outro que está por ai roubando ou matando.
Não quer ajudar não ajude mas também não faça o mal.
Trabalhei por muito tempo perto da famosa rua do craque, então, por ali sempre havi muitos meninos pedindo esmolas, eu não dava esmola, dizia a eles que não tinha dinheiro, só tinha tocket refeição, muitas vezes garotos pegavam o ticket e iam correndo para um bar ou lanchonete pra ver se aceitvam o ticket. Sei que outros talvez trocassem pelo crack, mas eu estava fazendo minha parte.
E olhe que parecia que meu ticket refeição dava cria, quase too dia eu dava um a alguém,chegava o final do mês inda sobrva ticket.
Ahhhh eu almoçava todos os dias com o ticket.

Inez 23 de jul de 2009 19:19:00  

Esqueci de falar com o tempo peguei amizade com alguns deles, nunca tive nenhum problema por ali, nunca fui assaltada, ameaçada ou coisa que o valha.

Marco Antonio 23 de jul de 2009 19:33:00  

Está agora dando todo o dinheiro para os pais encherem a cara e esquecerem dele, em troca apenas de um cobertor e nenhum carinho.

Antonoly 23 de jul de 2009 20:21:00  

O Brasil infelizmente é o país das injustiças, o pior é que muitos de nós acabamos por nos acostumar com elas.

Sem querer ser chato, mas já sendo, fiz uma proposta de link entre os nossos blogs nos comentários do seu post anterior e até agora você não me deu uma resposta.

Vou aguardar a sua resposta.

Um abraço!

Plaidy 23 de jul de 2009 23:53:00  

Ótima história!

Lorena Alves 24 de jul de 2009 00:22:00  

é ... infelizmente essa é a realidade do nosso país ... até crianças carentes são vítimas das "brincadeiras" de muito mau gosto de jovens desocupados ... assim como atear fogo em um índio mendigo ...
Muito bom conto.

Laura Gelbecke 24 de jul de 2009 00:39:00  

A realidade da pop está bem colocada no teu texto. abraço

Danilo Moreira 24 de jul de 2009 01:35:00  

Eu trabalho no Itaim e posso te dizer: ali tem muito menino vendendo balas e pedindo esmolas (e vou ser sincero, alguns q roubam tb), principalmente á noite.

Lamento que um grupo de marmanjos bem de vida tenham tido essa covardia de roubar balas de um garoto. Parabéns pelo gesto nobre. Pode ter certeza q, se o garoto por algum momento ficara revoltado com o mundo, vc e os outros dois q o ajudaram mostraram q ele ainda pode acreditar num mundo melhor.

Ele, e nós q lemos esse post.

Abçs!!!!

Estou de volta com um Delírio. Qdo puder, venha Deliar junto...

http://blogpontotres.blogspot.com/

Delírio - Ódio

Viviane Righi 24 de jul de 2009 08:45:00  

Oi, amigo lindo!
Fico muito triste ao ler relatos desse tipo, pois particularmente sou uma pessoa que sofre ao presenciar injustiças e violência, seja de que tipo for e seja com quem for.

Infelizmente, o caso que você conta aqui não é nenhuma novidade. Isso acontece todos os dias e em qualquer lugar. O que eu penso que não pode continuar é a omissão de pessoas que podem ajudar mas preferem permanecer de braços cruzados... existe um problema social muito sério no Brasil, envolvendo a questão da educação e ao mesmo tempo de caráter nas pessoas. Não precisava ser desse jeito!

Aconteceu algo parecido comigo, outro dia mesmo. Eu estava sozinha no meu carro, parada em um sinal de quatro tempos. Veio uma criança vendendo balas também, e sinceramente eu nunca incentivo esse tipo de coisa. Nunca compro nada, pois penso que comprando estarei beneficiando outros, que são os verdadeiros exploradores do trabalho infantil. Pois bem, continuando: senti uma grande pena especificamente em relação àquela criança, pois era um menino muito pequeno, de aparentemente uns 5 ou 6 anos de idade, no máximo. Ele tinha um olhar profundo e triste, muito sujinho e cheirando mal. Não me contive: pedi para pegar em suas mãos, de dentro do carro mesmo, e conversei com ele de mãos dadas. Pedi que fosse à escola, que tentasse fazer a vida dele diferente. Enfim, falei coisas muito positivas que, tenho certeza, ele nunca mais irá se esquecer. O sinal abriu, dei um tchau e ele acenou para mim com um sorriso.

Terei feito a minha parte de forma satisfatória? Não sei... só sei que me sinto mortificada ao presenciar tanto sofrimento e descaso com a vida humana. E essas crianças infelizmente estão condenadas a um futuro não muito bom, não muito virtuoso... não queria que fosse assim, droga!

Enfim, vamos que vamos...

FAGGH® 24 de jul de 2009 10:04:00  
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
dominiomarinho 24 de jul de 2009 13:08:00  

Bah cara e o pior é que tem muito disso por ai, moleque de classe média alta são os mais vagabundo e metido a besta, tem vários que são boa gente, mas normalmente quando são metido a playboy, ai fode... Já espanquei vários EHUHEUHEUEH

Bala Salgada 24 de jul de 2009 13:21:00  

Seria uma p...covardia fazer isso com quem está trabalhando...Você escreve muito bem.

Então eu amo os animais, seu slide show quase me fez chorar aqui. Depois de dar uma checada no meu último post, você permite que eu publique ele no mesmo post? Up to you.

Beijão e parabéns por esse amor aos animais, só boas pessoas o tem.

Anônimo 25 de jul de 2009 16:07:00  

é... uma grande falta de ética, cidadania...

o mundo anda de mau a pior.

Anônimo 25 de jul de 2009 16:23:00  
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Dona do Planeta 25 de jul de 2009 16:32:00  
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Luís 25 de jul de 2009 16:48:00  

Infelizmente, esse tipo de acontecimento envolve cada pessoa como Gabriel; o grande problema é a maneira como são tratados, cada vez mais são postos à margem da sociedade por causa de pessoas que se consideram superioras.
Particularmente, eu não dou moedas ou dinheiro às crianças que se arriscam nos cruzamentos ao fazer malabarismos, pois acho que é incentivo para que elas continuem. Mas a situação do garoto certamente era outra e o evento acontecido nada tem a ver com incentivo a sair das ruas, mas se relaciona unicamente ao preconceito e falta de cuidados para com o próximo.
Gostei do seu Blog, vou visitá-lo mais vezes.
=)

Mylene 25 de jul de 2009 16:50:00  

É nessas horas que tenho vergonha de ser brasileira!

Ótimo blog!

planetadablogueira 25 de jul de 2009 16:50:00  

Desculpe se apenas achei bom o seu blog!! Sinceramente o tema não me atraiu muito, as vezes precisamos ser honestos DEMAIS né??
Tudo bem, é pra acrescentar??

Não gostei, fui sincera, continuo achando bom o blog! Mas desculpa se não quis colocar sinceridade antes.

Mesmo assim te desejo sucesso.

plaidy 25 de jul de 2009 17:59:00  

Obrigada! Espero que o pessoal goste da promoção, o Template em si já está pronto.

Da parte da história, (de novo), só de dar 5 reais mostra que é bem generoso já :D

Bala Salgada 25 de jul de 2009 19:17:00  

Eu nem sei o que dizer. Sério eu tinha visto o slide show do seu cachorrinho com o pai (rs) e quase chorei, agora então...Poxa, sinto muito mesmo viu. Quando vim do Brasil ainda criança, deixei minha gata com uma mulher lá, ela fugiu e nunca soube.
Foi mais de 10 anos pra voltar e ficar sabendo, até hoje choro. Cada animalzinho que adotei é um filho, mais importante que eu.

Pobre esponja 25 de jul de 2009 19:55:00  

Belo texto, amigo. Estamos aí!

abç
Pobre Esponja

Antonoly 25 de jul de 2009 20:48:00  

Pois é, as vezes dá vergonha de ter nascido no Brasil!

Léo 25 de jul de 2009 21:06:00  
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
esdras b 25 de jul de 2009 21:42:00  

Ainda bem q isso foi o mais leve q vc podia presenciar, embora ñ menos revoltante. Estamos ficando acostumados com filhinho de papai divertindo-se queimando índios e espancando domésticas com a desculpa q parecia ser uma prostituta. Ainda bem q existem aqueles q ainda se sensibilizam com atitudes podres como essa!!!

J. C. David 26 de jul de 2009 12:58:00  

infelizmente é real e comum..e pior, não é uma singularidade nossa.

J. C. David 26 de jul de 2009 12:58:00  

infelizmente é real e comum..e pior, não é uma singularidade nossa.

Alam Oliveira 26 de jul de 2009 13:33:00  

Simplesmente muito bom! Fiquei bastante feliz por saber que os bons escritores não estão todos mortos! Gostei bastante da história de "Gabriel" um texto carregado de emoções e sentimentos de solidariedade humana que estão cada vez mais ausentes em nossa sociedade!

O título do texto, foi mais uma brincadeira mesmo, uma relação com as palavras que fazem parte dos primeiros versos, mais uma "relação" com a sociedade que parece "empalhada" em sem vida e reações!

Excelente teu blog! Parabéns!

PanPum Flûor 26 de jul de 2009 14:00:00  

caramba, muito legal voces!
o mundo esta perdido mesmo, e oq mais acho interessante que sao sempre jovens que tem uma vida boa, que sempre fazem absurdos como esse.

Vini e Carol 26 de jul de 2009 14:37:00  

Sim, perante a Deus ele fez o certo!
Como citou no texto, não foi uma caridade, e sim um ato de justica pela qual injustiça que o garoto passou.
Infelizmente é assim em TODO lugar, jovens de classe média/alta que se acham os melhores em tudo, e podem humilhar as pessoas, e até mesmo roubá-las, e nesse caso a forma de humilhação foi o roubo.
Isso mostra fielmente a nossa cultura, de os mais ricos de acharem sempre os melhores. E quem não tem condição adequada para ter uma vida digna, passa por esse tipo de apuro.

Cara, você é o Euzer, certo? Então quem postou? rs

Cara, parabéns pelo seu ato, só faltou vc ir no bar e dar umas porradas nos caras.
Parabéns.

Abraços.

F. 27 de jul de 2009 01:01:00  

Nunca fomos um país justo, aqui quem é mais bem visto normalmente é o malandro que se da bem e consegue passar todos para trás sem se dar mal, infelizmente.

André Augusto 27 de jul de 2009 01:07:00  

Sempre serás bem-vindo! Volte sempre!

Abs

Adm. Marcelo Leite 27 de jul de 2009 09:27:00  

Falta cidadania (;
hoje em dia acontece demais isso.
é não é uma singularidade não, é beem real :(

Fabricio bezerra da guia 27 de jul de 2009 18:42:00  

bom o blog
brincadeira
bom se eu visse uma cena dessa eu sinceramente falando ,deixaria pra lá;
"jovens bem nascidos" isso não existe ...mais

Vivica 27 de jul de 2009 18:52:00  

Eu não teria coragem de ver o que tinha acontecido. Que bom que realmente a criança precisava de ajuda (não era mais um marginal tentando pregar uma peça para algum roubo). Que pena que 'pessoas instruídas' cometam este tipo de insanidade com uma infeliz criança que só tentava angariar um dinheirinho numa noite fria.

Elogio tua atitude, mas, mais uma vez, eu não teria coragem. Ainda mais em São Paulo.

P.S.: Aqui em POA tbm tá fazendo um frio do caramba!

Wellington 27 de jul de 2009 19:02:00  

Adorei o texto da sua postagem, muito bom!!! Abraços!

http://neowellblog.wordpress.com/

Cássio 27 de jul de 2009 20:09:00  

Concordo, eu também não ajudo mendigos nas ruas, por várias razões!
"Ninguém, por ter mais dinheiro, mais estudo, mais tranquilidade social, tem o direito de subjugar os menos favorecidos só por lazer."
Você disse exatamente o que o ser humano sabe fazer de melhor, que é julgar.
É lamentável.
Abraços

Frank 27 de jul de 2009 22:26:00  

vcs fizeram o ideal para o momento. é terrível saber que há mtos que repetem a atitude dos 3 covardes que agrediram o Gabriel.

jana 27 de jul de 2009 22:48:00  

Nossa elite cada vez mais se mostra burra e mau caráter!
É um grande absurdo que mais uma vez vai ficar por isso mesmo.

se puder: www.saideiraeaconta.blogspot.com

Versos Controversos - Alan Salgueiro 28 de jul de 2009 00:11:00  

Parece que não é ficção, e mesmo que fosse, seria toda a verdade das ruas refletida.

28 de jul de 2009 12:50:00  

Falta de carater, de cidadania, de consciencia social, de educação...
Faltou a esses sujeitos bons pais que pudessem lhes dar broncas e castigos para serem alguém alem de suas carteiras!
Abços

nana lopes 28 de jul de 2009 17:36:00  

Oi querido!
passando pra deixar beijokas pra vc.Saudades primo!!

Anônimo 28 de jul de 2009 17:54:00  

Isto é Brasil, nosso país de tantas injustiça só nos trás revolta, só elegemos sem futuro isso me dá ódio.

BLOGdoRUBINHO
www.blogdorubinho.cjb.net
www.twitter.com/blogdorubinho

nana lopes 28 de jul de 2009 18:03:00  

Que lindo!
fez poesia em cima das minhas letrinhas.
Obrigada!

Esconderijo 28 de jul de 2009 19:49:00  

Essa cenas que presenciamos são tão absurdas que nos fazem questionar uma série de coisas da sociedade. Como explicar o que os caras fizeram com a criança?! Sinceramente, não sei. Belo texto e triste cena.

Abraço.

http://escondidin.blogspot.com/

Bruno R.Ramos 28 de jul de 2009 20:57:00  

É mesmo. Precisamos prezar mais pela cidadania.
http://www.gostodeler.com.br/materia/9501/metapoesia.html

Tiago Dadazio 29 de jul de 2009 17:34:00  

NEGO HUMILHA, É INSJUSTO...E VEM FALAR DE DEUS...

Descarga! 29 de jul de 2009 18:41:00  

Olá!
Muito tocante este post.
Um dia escrevi um parecido, sobre um menino que fazia malabarismos no sinal com côcos.
É realmente um problema e fico feliz em ver que mais alguém se preocupa.
Ainda tento achar aquele menino no sinal que estava, mas nunca o vi de novo. Espero para que estes meninos fiquem bem.
Gostaria de convidá-lo a escrever um texto sobre o tema da semana do meu blog (Ignorância) e o enviá-lo para o meu e-mail. Ele pode ser escolhido e postado.

Abraços fraternos,
http://www.descargapublica.blogspot.com/

Fernanda Fernandes Fontes 30 de jul de 2009 18:34:00  

Oi Euzer! Atendeu meu pedido não é?! Ótimo!

Que história bonita e ao mesmo tempo, triste! Mas ainda bem que estava lá o paizão que existe dentro de vc...e de Sérgio, claro!

Adorei a narrativa.

Mitti 2 de ago de 2009 17:30:00  

É Enzo, entendo bem o que vc sentiu..um aperto no coração né?

Eu tb não dou esmola, principalmente á crianças, pois os pais [safados]ficam de longe sentadinhs observando...

no quarteirão do meu trab tem um mendigo que tem até apelido [cheiroso], mas eu tava pensando...ele nunca vai querer sair da rua...ele ganha cigarro, cachaça, lanche, almoço, roupas......

  © Blogger template Skyblue by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP