Banner: Marco Antonio ///// Produção de Layout: Mariana Nunes

"EU TAMBÉM TE AMO"

>> quinta-feira, 10 de julho de 2008

[Juliana] Nossa, Euzer, que amor é esse? Você nunca foi apaixonado deste jeito...
[Euzer] Pois é. Jamais imaginei que fosse ficar assim.
[Juliana] Isso é amor. Não adianta você se enganar: você está apaixonado, e por mais que negue, você sabe que não é desistindo que isso vai acabar.
[Euzer] Sabe, Juquinha? Eu tenho a certeza absoluta que ainda tem muita água pra passar nesse rio, debaixo desta ponte.



Quando eu decidi estudar comunicação na faculdade, tinha a certeza que fazia a escolha certa. A idéia que tentaram colocar que eu seria um ótimo psicólogo realmente não me seduziu. Sempre fui considerado um ótimo conselheiro pelos meus amigos e amigas, sobretudo nos assuntos do coração.
Mas o meu coração... Minha relação com o amor pode ser considerada um verdadeiro ponto de interrogação.
Fui criado achando que amor fosse algo definido com palavras e regras. Como se fosse uma receita de bolo. Pode ser com todo mundo. Descobri que comigo o amor não segue regras.
Vivi três histórias significativas neste século. A primeira, de 2002 a 2003, foi a mais marcante. Seguiu-se alguns clichês como a troca de olhares, a conquista, o primeiro beijo, a paixão que deixa a gente igual a um bobo. E o tempo foi moldando nossa relação. Éramos cúmplices, companheiros, parceiros, cobaias de nossas teorias. Até que um dia, acabou. Mas de forma digna, com respeito e principalmente, educação. De um amor, trago boas lembranças e o contato até hoje.
De 2004 a 2007, outra história. Mais alguns (mesmos) clichês, mas também acabou. Nem a descoberta de que havia sido traído e que o término aconteceu para que eu fosse substituído me afetou. Por quê? Porque eu estava na terceira e mais enigmática das histórias de amor que vivi até hoje.
Avenida Paulista, São Paulo, noite de terça, fria, como as noites de agosto. E os olhares se cruzaram na calçada. Eu, de passagem, fazendo um curso. Voltaria a Bauru no final de semana. Seria um lance rápido, sem pretensões. Eu já tinha vivido o luto do pé na bunda. Mas bastou a troca de telefones, e um encontro, um único encontro, para perceber que aquele seria, por vontade de meu coração, o primeiro.
Dizem que o sentimento se fortalece com o convívio ao longo do tempo. Meu coração se encantou por aquele coração que vivia uma paixão não correspondida. Mas eu acreditei nos sentimentos e investi. Consegui mandar a paixão não correspondida para o limbo. Até “USSO” virei, mas a tal convivência sempre foi escassa. Afinal, não é sempre que posso ir pra São Paulo, tampouco o caminho era feito. Nosso amor foi via Claro-TIM ou Telefônica. Brigas, desencontros, discussões, desentendimentos, ciúmes tornaram-se constantes. E uma saudade grande no meio disso tudo, dividindo espaço com a distância.
A vida é feita de escolhas. E eu fiz a minha: escolhi não sofrer mais. E toda escolha implica em pelo menos uma renúncia: E para não sofrer, renunciei à paixão. Mas não cortei o contato. Apenas disse que seria “o melhor amigo”. E fui. Mas meu coração sabia que não era fácil. E não deu bola para a decisão do cérebro. Por mais que eu me permitisse outros olhares, o coração esperava apenas um certo olhar. E este certo olhar apareceu. De surpresa, numa também fria noite de sábado - mas de julho. Trouxe junto o sorriso, o abraço e algumas certezas...
Regras para o amor? Decididamente, não há regras. Há regras, sim, para um bom relacionamento, mas para o amor, não existe. Como disse Shakespeare, um dia, o coração tem razões que a própria razão desconhece. E seja lá o que for isso, eu posso dizer, com toda a segurança do mundo:

49 bedelhos!:

Ana Lucia 10 de jul de 2008 22:32:00  

Euzer, lendo sua postgem lebrei daquela música do Zezé di Camargo e Luciano "...é o amooor que mexe com a inha cabeça e me deixa assim..." não importa como as paixões aconteçam em sua vida...
aproveite!

Grupo Saber Viver 10 de jul de 2008 22:35:00  

Muito legal quando se encota, um amor veradeiro, e principalmente quando é correpondido, eu encontrei na minha eposa que tanto amo!
http://gruposaberviver.blogspot.com/

Mariana 10 de jul de 2008 22:46:00  

Sabe.. o amor é um sentimento dificil de explicar. O conjunto de comportamentos que para mim significam amor, para o outro não significa e acho que o impasse está aí. A gente espera do outro o mesmo conjunto "ideal" de comportamentos. A gente espera que um dia, o pacote 'eu te amo' vendido nas novelas e filmes, seja a nós agraciados.

E daí o tempo passa e a gente ve que o melhor pacote de amor é aquele que a gente sente. Sente e ponto.

beijos querido.. belo texto.

Fernando Gomes 10 de jul de 2008 22:54:00  

as pessoas tem a estranha mania de querer ter um manual para o amor..

e é aí que as coisas começam a complicar..
;D

http://andisaidgoddamn.blogspot.com/

Gonzo Laranja 10 de jul de 2008 23:00:00  

hum...
adorei verificar uma parte de sua concepção sobre o amor...

um abraço

não se esqueça de me visitar:

www.gonzolaranja.blogspot.com

Fernanda 10 de jul de 2008 23:13:00  

Ahhh que graça seu post de hoje!! Lindoooo!! Parabens!! Muita sorteee

Sucesso!!!

Jhony 10 de jul de 2008 23:25:00  

Nada é mais Lindo do que o amor né!

S2

http://jhonyfreitas.wordpress.com

Gi KrDoSo 11 de jul de 2008 01:00:00  

Que lindio!!Eu tô é precisando de um 'serenata de amor' da propaganda pra reacender o meu,o da vida real.

Danilo Ozzy 11 de jul de 2008 01:09:00  

Muito show !

Acho superlegal essas dclarações em blogs =]

Jornalista Azarado 11 de jul de 2008 06:57:00  

Grande Euzer!! Muita sorte e felicidade nessa nova (e espero que "longuissima") etapa! Espero que todo esse seu amor seja correspondido!

Felicidades para ambos e viva o Amor!

Lucas 11 de jul de 2008 10:13:00  

É tudo o que procuramos: amor. Infelizmente, ele esta meio em "extinção".



http://relationchic.wordpress.com/

Ju 11 de jul de 2008 11:42:00  

Euzer! Adorei o post de hj! O seu olho brilhando e o sorriso no rosto dizem tudo: é o amoooooooooorrrrrrrrrr hahahhaha
Eu amo mto, viu?
Beijos
Juquinha

mundo a fora 11 de jul de 2008 12:08:00  

q amooooooooooooooor

o amor eh lindo

>.<

adorei!

Latinha 11 de jul de 2008 12:51:00  

Rapaz... de tão simples que é, o amor acaba se transformando em uma complicação tão grande para nós! ehehe

Mas nõa há nada como o amor!!!

Abração!!

Otávio B. 11 de jul de 2008 21:51:00  

Cara, o amor é o negócio mais complexo, mais difícil e mais sofrível que existe...Mas ainda assim, eu não consigo e nem conseguiria viver sem ele heehhehehe

Boa sorte pra ti, meu caro

Abraços

http://hangardezenove.blogspot.com/

Ane 11 de jul de 2008 23:00:00  

O amor chega de surpresa, quando menos esperamos...

Legal o texto! Identifiquei com certos momentos da minha vida!!

Abraços!

http://coisasdavidaa.blogspot.com/

R Lima 12 de jul de 2008 00:07:00  

Ah o amor.. supremo meu caro;

Abçs e,




Venha ler AMANHÃ, dia 12, um texto em comemoração a data.. lá no AveSSo.


Visite e Comente... http://oavessodavida.blogspot.com/

O AveSSo dA ViDa - um blog onde os relatos são fictícios e, por vezes, bem reais...

Google 12 de jul de 2008 00:48:00  

Muito obrigado pelo seu comentário. Fique a vontade de passar novamente por aqui sempre que desejar.
Um grande abraço!
http://cativagoogle.blogspot.com/

Cisco 12 de jul de 2008 08:28:00  

Euzer Apaixonado aopkskopaskoas

Que ótimo cara.. mas tipo, o amor tem coisas que ninguem explica... e a segurança pra dizer eu te amo, é uma das coisas que nao se explica, é preciso amar mesmo pra dizer isso.

Abraços
Cisco
www.borarir.net

sangue-sugas § 12 de jul de 2008 08:39:00  

EU TB AMO QUEM ME AMA.
ENTAO VAMOS FAZER UMA SURUBA DE AMOR PELO MUNDO QUEM SABE ASSIM TRANSFORMAMOS OS HUMANOS EM ALGO MELHOR.

Visite tb nosso outro blog de downloads de cds em mp4:
http://mp4pontocom.blogspot.com/

http://sangue-sugas.blogspot.com/
De tudo um pouco

Taner Waterfall 12 de jul de 2008 16:11:00  

Que "fofu"!
Também estou na tentativa de "tentar" não sofrer mais... Estou casado a quase 2 anos, eu amo muito e sofro muito pois as vezes acho que o amor é sempre de mão única... Me entrego demais e vivo pro amor que muitas vezes me faz esquecer quem sou...
abraço pra ti "mininu inteligenti"

greatdj 12 de jul de 2008 21:40:00  

Ahhhhhh O amor!
Quem dera poder conseguir regrá-lo!
Ia ser tão mais simples, imagina só, poder colocar tudo em linhas retas! Ia ser tão mais prático e objetivo.
Pena que amor tenha que ser tão complicado e acabar sempre de forma chata!

Grupo Saber Viver 12 de jul de 2008 21:53:00  

Não existe sentimento mais sublime que o amor!
http://gruposaberviver.blogspot.com/

Fernando Gomes 12 de jul de 2008 22:10:00  

j´a tinha comentado aqui amigo.. então tô só registrando presença por causa do tópico..
abraço

12 de jul de 2008 22:24:00  

adorei seu texto...
nao tenho palavras para dizer o que senti quando lia...
se o meu rumo no amor for um pouco parecido com o seu...otimo!
rsrsrs
bom sabado!
desculpa a invasao!
bjs

r a f a 12 de jul de 2008 22:24:00  

nossa.. q post romantico rapaz
ate me amoleceu o coraçao agora e me fez parar pra pensar

bacana!
abraço!

Ricardo Thadeu 12 de jul de 2008 22:42:00  

Queria entender que zorra é o amor.

Muito massa, camarada.

Google 12 de jul de 2008 22:50:00  

Eu sempre foi ruim em dar conselhos!!!

Flavitcho 12 de jul de 2008 22:52:00  

Sim, tem amores que a gente não quer lembrar. Tem aqueles que, mesmo acabando, a gente leva pra sempre. Tem o do momento. Bom, tem um monte de amores. A gente procura por eles, as vezes espera, mas não dá pra saber quando que ele vai aparecer.

Quem é capaz de amar, merece grandes aplausos e a felicidade eterna. Eu acho. :)

Já amei demais alguém, mas aí aquele papo de "a gente é amigo e é melhor deixar como tá pra a gente não se afastar depois" foi o problema. Mesmo assim, nada aconteceu e a gente tá afastado do mesmo jeito.
Vige. =X

Mas a gente (eu) é besta e vive amando sem vergoinhas. :p

\o/

Jeff McFly 12 de jul de 2008 22:52:00  

Nossa, que baita paixão, hein, caro Euzer? Puxa...

Notei e seu depoimento que a velha sabedoria é mais qe verdadeira: Uma paixão cura a outra.

E o coração, hein? Por mais 'pé na bunda' vc tome, ele nuuuuuuunca aprende.

Mas é assim... fazer o que, né?

Mayna Nabuco 12 de jul de 2008 23:08:00  

Nossa Euzer!
Sua história é bem parecida com a que estou passando. Semana passada escrevi um texto sobre minhas paixões, chamado Paixões reunidas, tem a ver com o seu texto. Hoje também tento ser amiga daquele quero mais que um amigo, mas é tão difícil manter essa situação. Enfim...
Obrigada pelo comentário em meu blog!

http://maynabuco.blogspot.com

Vanessa Lee 13 de jul de 2008 11:56:00  

Se o amor n�o � simples em novela e filme rom�ntico, quem dir� na vida real...

Lidianne Andrade 13 de jul de 2008 11:58:00  

ai que lindo
amei!

Andréa Cristo 13 de jul de 2008 12:01:00  

Uma das coisas que eu aprendi nesta vida, é que a maioria das pessoas têm uma maneira de focar o amor equivocadamente.
Na minha opinião, a pessoa amada não é nenhuma propriedade. Logo o sentimento de traição é derivado deste sentimento de propriedade.
Me explico:
Eu passei por muitas relações... fui casada, tive noivos, namorados, amantes, e descobri que não podemos responsabilizar à ninguém dos nossos sentimentos. Se amamos alguém que não nos ama, sofremos... Se amamos esta pessoa e descobrimos que esta pessoa se deu para outra pessoa, sofremos... Mas isso é justamente "a receita do bolo" que você cita no teu texto. Amamos, mas queremos que a pessoa seja só nossa... e nesta maneira de agir, muitas vezes sufocamos a pessoa e não deixamos mais espaço que para a fuga desta pessoa. Quem não nos ama com a mesma intensidade não pode dar-nos o que queremos, que é a exclusividade. Temos que compreender que ninguém é de ninguém. Cada pessoa é propriedade de si mesma. Já se aprendemos a amar, deixando livre, a pessoa aprende a apreciar esta liberdade e já não sente necessidade de escapar. Claro que existe excessões, onde a pessoa é uma leviana e só quer brincar de amores... ou é desonesta principalmente com ela mesma, ou é uma pessoa egoísta. Mas quando o amor não escolhe o seu alvo, e simpelsmente as vezes caimos nas armadilhas de pessoas incautas que só querem ver o sofrimento do parceiro, como vingança inconsciente a um amor não correspondido, ou porque simplesmente são pessoas vazias que não conhecem as delícias de amar e ser amado. Pessoas desonestas consigo mesmas e com os demais. Não há uma fórmula para o amor perfeito, mas existe uma fórmula para aceitar o outro tal como ele é, ou não. São os princípios do amor incondicional. Sempre digo que saber amar, é saber amar-se acima de tudo. Hoje em dia, eu sou anti casamento, anti rédeas, anti-contratos, anti compromisso... Pois o amor verdadeiro é livre de todas estas armadilhas humanas. Ciúmes, possessividade e co-dependência, é algo que é incompatível com o amor.
Quanto aos clichês que mencionas, não são clichês, simplesmente a natureza é igual para todos, e quando nos apaixonamos por alguém, temos todos os mesmos sintomas. Se a paixão consegue se transformar em amor correspondido, os amantes decidem seguir a vida juntos, até aonde dure.

Como dizia o poeta Vinícios:
Que seja eterno enquanto dure.
Abraços.

Danilo Moreira 13 de jul de 2008 12:16:00  

Praticamente já disseram tudo ai em cima, então, apenas vou comentar, para o amor, a unica regra é amar acima de tudo.

É isso.

Abçs!!!

Daqui a pouco, saindo do forno:

Voce já pensou no que seria capaz de fazer em situações extremas?

Então, confira e opine:

----------------------------------
O Instinto de Sobrevivência

http://emlinhas.blogspot.com/

EM LINHAS...
Quando as palavras se tornam o nosso mais precioso divã.
----------------------------------

Marco Antonio 13 de jul de 2008 21:28:00  

Ah, o amor...

Euzer, isso é uma bela declaração. E é tão bom ver alguém amando e a correspondência disso... esse sorriso no rosto... agora mesmo dei uma risada.

Ah, o amor...

carla m. 13 de jul de 2008 22:21:00  

Euzer, como sempre, tão verdadeiro, tão universal.

até eu me apaixonei depois de ler esse teu post, me fez reviver cada um dos romances que já protagonizei.

aproveite a eternidade desse amor.

Electrodomesticos 13 de jul de 2008 22:21:00  

O amor mexe mesmo com nossa cabeça!

Abraços, até mais!

Fábio Buchecha 13 de jul de 2008 22:36:00  

Euzer, casa comigo?

uahsuhauhashaushauhsuahsuahsahush

Cara, eu jamais renunciaria a uma paixão. Jamais.

Mas como disse você, com muita propriedade aliás, não há regrar para isso. Cada um é cada um.

=P

___________________________________
TemPraQuemQuer

Bruna *Lovegood* 13 de jul de 2008 22:42:00  

Que bom que tuh encontrou alguém, Euzer. Porque eu venho me sentido cada vez mais só, essa carência sempre chega no inverno pro fim do ano.
Ontem vi 3 caras, mas especialmente um que poderia ser marcante pra mim, mas qdo ia ter acoragem de falar com ele, ele acho q se cansou de esperar q um de nós falássemos e foi se sentar num banco atrás de mim no terminal. =/

Eh mto ruim, não que eu procure mto alguém, mas a falta de alguém é horrível. Não tem nenhum nem que seja um chato pra mim, mto menos um q venha pra me marcar.

Mas um dia meu gato vem, ah, vem, Deus tem q ter uma coisa mto boa pra me fazer esperar tanto tempo!

Rafael Carvalhêdo 14 de jul de 2008 00:13:00  

Eu desconfio de que nunca eu tenha amado! Fico até com inveja sua Euzez. Você com toda essa paixão... rsrsrs... mas um dia acontecerá!

Rafael Carvalhêdo 14 de jul de 2008 00:14:00  

nem pensei muito nessas palavras, mas já as disse!

felipe 14 de jul de 2008 08:49:00  

Histórias parecidas as que vivemos....luto de amor é complicado e necessário.
E acredito que não se cura um amor com outro....deixa o primeiro passar, se cure e parta para outro. Apaixonar é muito bom, curtir, viver a dois, mas é preciso ter tempo, disponibilidade, vontade e caráter para isso. Por isso é tão dificil....
abraços
felipe
www.muitoadeclarar.zip.net

Lucas Conrado 14 de jul de 2008 21:21:00  

Bem, eu já passei por isso. Não cheguei a ter relacionamentos, mas sei bem como é o cérebro mandar ter amizade e o coração querer algo a mais...
Infelizmente, minhas paixões estão distantes de mim. Seja geograficamente, seja no campo sentimental mesmo...

Luua 19 de jul de 2008 23:41:00  

Eu realmente que sua história dê certo, a minah é quase a mesma coisa, sempre correndo atrás de quem não em dava valor e em um dia comum demais conheci o amor da minha vida, alguns, talvez muitos, quilometros nos separam, mas isso não faz com que o sentimento desapareça, afinal, a gente não escolhe quem amar!

=D

http://euamonutella.blogspot.com/

Dário Souza 22 de jul de 2008 22:31:00  

Me indentifiquei muito com esse post apesar da minha pouca idade,acabei de passar por o que pra mim foi o relacionamento mas legal que eu ja tive,mas a questão é que a gente acabaou por se distanciar,e as coisas esfriaram,e quando rolou de acabar foi como vc disse no primeiro relacionamento,foi algo limpo um com o outro,sem magoas nem nada,axo que fiquei mais maturo junto dela e ela junto de mim,e as vezes me pergunto se nao fiz errado de ter acabado algo que me fazia tao bem.

Cara valeu por ter me feito levantar qustoes desse tipo para mim msm.

Gabriel 24 de jul de 2008 23:30:00  

O que seria eu te amo hoje em dia? o que é o amor? p'ra mim é como escrevi uma vez:

Então não quero-te p’ra sempre presente;
O amor necessita do riso inconsciente,
Para quando rever-te em saudade, abrir-se contente.
Por ser o verdadeiro amor o amor ausente.


Parabéns camará pelo texto, e tudo que é baseado em "paixao" da certo por ser um amor ainda se descobrindo...

Abraços!

Katarina 26 de jul de 2008 22:54:00  

Acho que nunca li um post tão sincero sobre o amor. Muito bonita a forma como vc escreveu sobre tudo o que aconteceu... sem romantizar a verdade, apenas... amando. Acho que essa coerência se deve a existência de um autoconhecimento mto grande. Olha eu dando uma de psicóloga...rs. Nao liga nao, é que simplesmente te admiro por isso. Pra mim é tão diferente...

Fernanda Fernandes Fontes 31 de jul de 2008 00:21:00  

Nossa, me identifiquei mto com esta postagem. A distância complica qq belo relacionamento, não?! E msm que existam outros olhares, a gente nunca esquece. E é bom não esquecer msm. Tento apagar lembranças ruins (até msm por não conseguir distinguir o que é fruto da minha imaginação e o q não é). A vida passa... e só depende de nós!

Ah, e agora descobri q vc fez comunicação. Mto bom, né?!

Abraços

  © Blogger template Skyblue by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP